Estratégia & Análise
ISSN 0033-1983
Principal

Artigos

Clássicos da Política Latino-Americana

Coluna Além das Quatro Linhas

Coluna de Rádio

Contenido en Castellano

Contos de ringues e punhos

Democracy Now! em Português

Democratização da Comunicação

Fale Conosco

LARI de Análise de Conjuntura Internacional

NIEG

Original Content in English

Pensamento Libertário

Publicações

Publicações em outros idiomas

Quem Somos

Sobre História, memória e historiografia.

Sugestão de Sites

Teoria



Apoiar este Portal

Apoyar este Portal

Support this Website



Site Anterior




Creative Commons License



Busca



RSS

RSS in English

RSS en Castellano

FeedBurner

Receber as atualizações do Estratégia & Análise na sua caixa de correio

Adicionar aos Favoritos

Página Inicial
















































LARI de Análise de Conjuntura Internacional •
Conjuntura Internacional •
Apresentação O Laboratório de Relações Internacionais voltado para análise de conjuntura internacional tem o orgulho de apresentar ao público-leitor do portal e a comunidade acadêmica a vigorosa produção dos e das estudantes de RI da universidade. São textos analíticos, informativos e de introdução a esta área de conhecimento e pesquisa. Se por vezes o material produzido soar como quase descritivo e aquém da crítica costumeira deste sítio, é a intenção da coluna prover o cabedal de informações e conceitos-básicos do campo para, a partir daí, realizar a crítica. Boa leitura, Bruno Lima Rocha, coordenador do LARI de Conjuntura Internacional.

A Turquia na Guerra Civil Síria, de testemunha à linha de frente

veteranstoday

As relações comerciais ilegais entre a economia de guerra do DAESH e o apoio logístico do Estado turco

13 de agosto de 2016, Pedro Guedes

Desde 2014 a Turquia vem sendo alvo de constantes ataques terroristas, por parte dos aliados e ora rivais do DAESH (Estado Islâmico), bem como ataques guerrilheiros contra suas forças de segurança perpetrados por braços operacionais pertencentes ao guarda-chuva do PKK (Partido dos Trabalhadores do Curdistão).  A pergunta é como um Estado que até meados de 2014 era visto como um dos poucos lugares seguros do Oriente Médio se tornou em tão pouco tempo uma das linhas de frente do Terrorismo Internacional. Para responder está pergunta é necessário antes, reconstruir o período anterior à Guerra Civil na Síria, mais precisamente o período entre 2008 e 2014. 


ler •
• voltar

enviar •



A conturbada aliança das forças militares da esquerda do Curdistão e as milícias pró-Assad.

sds

A existência da SDS depende da coexistência entre as milícias da esquerda do Curdistão e as forças pró-Assad

29 de junho de 2016, Pedro Guedes

Ao longo do mês de Abril de 2016, inúmeros confrontos foram reportados entre os membros do YPG (Unidades de Proteção Popular ou Yekîneyên Parastina Gel‎) e as forças da NDF (National Defense Forces ou Quwat ad-Difāʿ al-Watanī) na província de Al Hasaka, resultando em alguns mortos e feridos nos dois lados. Mesmo com a temporária aliança entre Damasco e Rojava em vigor, as relações entre as subunidades das duas facções nunca foram muito amistosas. 


ler •
• voltar

enviar •



Do ordenamento ao caótico & seus desdobramentos ocultos na crise - 3

blogdopedlowski

A manipulação grosseira e a novelização seletiva do 11 de setembro brasileiro

Ricardo Camera, maio de 2016

Da Liberdade ao sonífero – Lava Jato, o 11 de setembro brasileiro 

Mais uma vez na ficção, em Guerra nas Estrelas 3 - A Vingança dos Sith, de George Lucas, a senadora Padmé Amidala, pasma com o fato de o Senado Intergaláctico ter oficializado o Império do chanceler Palpatine - secretamente um maligno Sith - golpe à República Galáctica, Padmé declara o que ecoa em nossas mentes na realidade atual, “É assim que a liberdade morre. Com um estrondoso aplauso”.

A ficção se converge em realidade quando verificamos o efeito populista da operação Lava Jato, cuja qual revelou um monstruoso esquema de corrupção entre os principais partidos governistas e, inclusive, da oposição. Traumática foi a experiência pública de assistir cotidianamente os noticiários; notemos, no entanto, que esses grandes traumas públicos, aproveitados pela mídia sensacionalista, vem acompanhado de um tipo de calmante invisível, de modo que funcione como um placebo ideológico às massas, visto que a mesma Ordem exposta nesse ensaio permanecerá no dia seguinte a Lava Jato e ao Impeachment de Dilma Rousseff. 


ler •
• voltar

enviar •



Do ordenamento ao caótico & seus desdobramentos ocultos na crise – 2

novotopico

A favelização convivendo com bairros valorizados é a versão brasileira atual da Casa Grande e da Senzala

Ricardo Camera, graduando em relações internacionais da Unisinos (ricajc@hotmail.com)

A crise política, econômica e midiática do Brasil diante dos adversários internos e a hostilidade indireta da superpotência

O Brasil, por sua vez, se torna um anuviamento para aqueles que fazem parte da chamada institucionalidade teatral e os setores oligárquicos/plutocráticos do país. Paradoxalmente são aqueles que formatam o Establishment - Ordem - que não apenas não percebem o Establishment enquanto tal, como também são eles os primeiros a anunciar publicamente – num impulso procrastinador - que a situação é caótica a priori, e por tanto, é preciso trazer a ordem rígida, fazer jus a bandeira, e adentrar novamente no progresso...  Basta ver, por exemplo, os jornalistas dos principais meios de comunicação, os líderes políticos tanto da situação como da oposição; o discurso é unanime, por exemplo, em dizer que o Brasil está dividido. Alguns fanáticos até dizem que o Partido dos Trabalhadores teve a proeza de dividir o Brasil, o que é o maior pleonasmo ideológico da terra - os moradores das inúmeras favelas, guetos e periferias do Brasil podem confirmar... Não é prudente, nem coerente, de repente afirmar que o país está dividido, pois ele já é dividido em si mesmo, desde as capitanias hereditárias e senzalas às favelas atuais; os principais jornais impressos deram o tom. Quem defendeu a legitimidade dos votos eram chamados de “apoio” da Presidente da República, já os que eram contra a seu Governo, ganhavam as manchetes com um “os brasileiros” em letra maiúscula, como se uns fossem a totalidade do povo, e outros, um grupo sem legitimidade, a parte do povo.


ler •
• voltar

enviar •



Do ordenamento ao caótico e seus desdobramentos ocultos na crise – 1

jusbrasil

O caos pela quebra do pacto com o andar de cima e manipulado pela mídia corporativa e o interesse internacional no Brasil

Ricardo Camera – graduando de relações internacionais da Unisinos, abril de 2016

Existe um tipo de sabedoria new age, espiritualista-comercial, fragmentos orientais corrompidos, os quais são difundidos desde os círculos mais populares, até os mais intelectuais; eis ao ditado “Ordem a partir do Caos”, o que, no amálgama ideológico da dita pós-modernidade, é uma espécie de mantra fast-food, tão profundo quanto o formato comercial-dramaturgo das telenovelas (...) “Encontre a Ordem a partir do Caos dentro de seus negócios” diz o lema mercadológico mais banal.


ler •
• voltar

enviar •





A Batalha por Aleppo: A mãe de todas as batalhas na Guerra Civil Síria. »

Identificação dos atores do conflito sírio, os Curdos »

Narcotráfico, grupos insurgentes e economia ilegal em escala: ameaças regionais para a soberania »

Presença militar dos EUA na Região Amazônica – uma abordagem inicial »

Ameaças globais à Amazônia brasileira – Cobiça internacional e meio ambiente »

Análise do conflito Sírio, identificação dos agentes não estatais »

Reflexão acerca da realidade haitiana em tempos de intenso fluxo migratório »

As reivindicações da CONAIE e uma chance para a direita Equatoriana »

PERCEPÇÃO DAS AMEAÇAS À AMAZÔNIA BRASILEIRA »

A evolução do Conflito Sírio e a identificação dos atores »



ver todos »