Estratégia & Análise
ISSN 0033-1983
Principal

Artigos

Clássicos da Política Latino-Americana

Coluna Além das Quatro Linhas

Coluna de Rádio

Contenido en Castellano

Contos de ringues e punhos

Democracy Now! em Português

Democratização da Comunicação

Fale Conosco

LARI de Análise de Conjuntura Internacional

NIEG

Original Content in English

Pensamento Libertário

Publicações

Publicações em outros idiomas

Quem Somos

Sobre História, memória e historiografia.

Sugestão de Sites

Teoria



Apoiar este Portal

Apoyar este Portal

Support this Website



Site Anterior




Creative Commons License



Busca



RSS

RSS in English

RSS en Castellano

FeedBurner

Receber as atualizações do Estratégia & Análise na sua caixa de correio

Adicionar aos Favoritos

Página Inicial
















































Coluna de Rádio •
Opinião falada sem meias palavras •
Programa Periscópio da Mídia 1º de setembro de 2011


Pode até mudar de nome, se arrastar na Câmara dos Deputados até chegar ao Senado, manter os interesses do capital privado inabalados durante todo esse percurso; o fato é que, o PLC 116, antigo PL 29, é acompanhado de perto pelo Periscópio da Mídia.

Ouça e baixe o programa aqui.

Eduardo Menezes

No programa "Periscópio da Mídia - a indústria da comunicação social de cabeça para baixo" desta quinta-feira, dia 1º de setembro, esteve em discussão, mais uma vez, os pontos polêmicos que cercam a sanção do PL 116. A aprovação do projeto está por vias de se concretizar, no entanto, alguns pontos são tidos como inconstitucionais pela oposição e cabe a presidenta Dilma Roussef vetá-los ou não.

 

Além de dar atenção especial às atribuições do Poder executivo, no que tange a aprovação da PL 116, os jornalistas Bruno Lima Rocha e Eduardo Menezes, acompanhados do estudante de jornalismo Dijair Brilhantes, trataram de abordar outro tema recorrente nos debates promovidos pelos militantes da comunicação alternativa. Trata-se da liberdade de expressão, enfatizando suas novas tonificações a partir dos protestos massivos que irrompem o pacato ciclo de relacionamentos das redes sociais para denunciar abusos de poder e promover levantes populares, a exemplo do que aconteceu durante a Primavera Árabe e, também, em parte da Europa.

Como de costume, a segunda pauta do programa se estendeu para o bloco final. Assim, foi colocado em debate o assassinato de um sem-teto em São Francisco, Estados Unidos, que levou as autoridades locais a inabilitarem o serviço de telefonia celular dentro da estação Centro Cívico, espaço onde ocorreu o incidente e, dias depois, aconteceram protestos massivos. Os apresentadores do Periscópio deixaram a discussão correr livremente, sem prender-se ao roteiro, e acabaram fazendo relações que perpassam tanto o mundo digital, quanto a vida real. No caso específico do sem-teto de São Francisco, o abuso de autoridade mereceu um hashtag no Twitter, em alusão a uma atitude semelhante adotada pelo ex-ditador egípcio, Hosni Mubarak. Mas como fica o direito à livre manifestação quando os fantoches do braço armado de todo poder político enfrentam uma grave crise de bipolaridade? Precisam se posicionar enquanto classe trabalhadora, mas possuem, no âmago de sua atividade profissional, a intransigência, a falta de diálogo e subserviência ao governo de turno, seja ele qual for. Ouça a última edição do Periscópio da Mídia e reflita sobre isso. Fica o convite, também, para que ajude-nos a construir a pauta dos próximos programas enviando um e-mail para periscopiodamidia@gmail.com, ou entrando em contato pelo twitter: @periscopioradio.

Sobre o Programa

O Periscópio da Mídia é produzido e apresentado pelo Grupo de Pesquisa Comunicação, Economia Política e Sociedade (Cepos), cujo coordenador é o professor Valério Cruz Brittos. O Grupo Cepos está vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da Unisinos-RS e conta com o apoio das seguintes entidades, mediante a aprovação de editais públicos: Capes, CNPq, Fundação Ford e FAPERGS. Cabe ressaltar, ainda, que não há nenhuma interferência da instituição ou do coordenador do grupo na linha editorial do programa, sendo este de inteira responsabilidade dos seus idealizadores. A transmissão é feita pela Rádio Unisinos 103.3 FM, todas as quintas-feiras, às 20h, com reprise aos domingos, às 21h.  A rádio pode ser ouvida também pela internet, no endereço: www.unisinos.br/radio. Além de ser veiculado pela emissora da universidade, o programa vai ao ar por rádios livres e comunitárias de todo o Brasil.





« voltar





Primeiros impactos da lista de Janot a partir dos depoimentos da Odebrecht
2017-04-15 13:29:32

Brasil: la denuncia de 98 políticos profesionales nombrados en la lista de la Fiscalía
2017-04-15 13:23:23

Divisão internacional do trabalho
2017-04-03 16:49:06

Viralatismo e eurocentrismo
2017-04-03 16:47:11

A estrutura da corrupção e do poder no Brasil
2017-03-13 17:22:24

La criminalización de las oligarquías políticas brasileñas
2017-03-11 11:50:17

8 de março, dia de luta, uma reflexão solidária
2017-03-08 21:18:10

El depoimento de Marcelo Odebrecht a la Suprema Corte Electoral de Brasil
2017-03-04 16:55:57

La indicación del ministro de la Justicia del gobierno golpista para la Suprema Corte Brasileña
2017-03-04 16:33:54

Eleições equatorianas - entrevista ao programa Café Cultura - Rádio FM Cultura
2017-02-22 12:19:27