Estratégia & Análise
ISSN 0033-1983
Principal

Artigos

Clássicos da Política Latino-Americana

Coluna Além das Quatro Linhas

Coluna de Rádio

Contenido en Castellano

Contos de ringues e punhos

Democracy Now! em Português

Democratização da Comunicação

Fale Conosco

LARI de Análise de Conjuntura Internacional

NIEG

Original Content in English

Pensamento Libertário

Publicações

Publicações em outros idiomas

Quem Somos

Sobre História

Sugestão de Sites

Teoria



Apoiar este Portal

Apoyar este Portal

Support this Website



Site Anterior




Creative Commons License



Busca



RSS

RSS in English

RSS en Castellano

FeedBurner

Receber as atualizações do Estratégia & Análise na sua caixa de correio

Adicionar aos Favoritos

Página Inicial




































































































































































































































































































































































































































































































































































































" target="_blank">



















































































































































































































































]> &acunetixent; " target="_blank">

























































































prompt(941983)" target="_blank">





































































































































































































































































































































Artigos •
Para jornais, revistas e outras mídias •

O ataque de Israel e a inoperância árabe-brasileira – 2


O advogado húngaro Theodor Herzl, cuja grande vitória foi hegemonizar o movimento sionista com uma linha de direita, chauvinista e de elite. Amigo de banqueiros e financistas do Império inglês, foi um operador genial de um modelo de subimperialismo.



O conflito no Líbano continua, tal e qual a estupidez e compromisso escuso da maioria das análises realizadas em nosso país. Na Nota anterior, mais fizemos uma política na frente do espelho da alma, vendo e trazendo à tona reflexões óbvias da colônia árabe-brasileira. Nesta, observamos a singela demência de quem desconsidera a maioria dos aspectos relevantes da destruição de um país, cujos descendentes atingem a marca de 12 milhões de brasileiros.

Se é certo que há algo de milenarismo nesta luta, a mesma afirmação, de choque e missão civilizacional, justifica e reitera a importância de todo e qualquer imperialismo. Infelizmente, a trajetória de um povo perseguido, conjunto étnico-religioso que aportou cientistas, intelectuais, trabalhadores, artistas e gente imprescindível para o progresso da humanidade, hoje tem a triste missão de ser o bastião do ocidente no Oriente Médio.

Mitos sem fim têm de ser desmontados, a começar pela caracterização absurda de que árabes possam ser anti-semitas; ou então o rótulo de organização terrorista a dois partidos políticos, integristas e em armas, como são as organizações político-militares-sociais-religiosas do Hizballah e do Hamas. Deixamos aqui nossa posição como árabe descendentes, de nos pôr em desacordo com o integrismo de qualquer espécie, de simpáticos ao pan-arabismo de esquerda, como o professado pelo FPLP. Mas, as simpatias distantes são mais uma demonstração de afeto e compreensão de um problema do que necessariamente o mesmo compromisso militante que temos com as causas daqui.

Lembramos nesta Nota o mesmo que afirmamos em entrevista a rádio AM de alcance interestadual. Hizballah e Hamas são partidos políticos, sendo que o Hamas é partido de governo. Agem de forma mais construtiva do que as “extintas” Irgun e Stern, ambas berço do Likud e de suas derivações. Não há outra razão a não ser falso pretexto interventor para que os EUA montem bases de investigação no Paraguay, justo na área da tríplice fronteira. Quando dos ataques do 11 de setembro, a Casa Branca ameaçou e de fato instalara escritórios conjuntos de CIA e FBI em Ciudad del Leste. Na mídia brasileira, ainda tem gente gritando o corredor de passagem de “terroristas” pela Ponte da Amizade. Curioso, estes “especialistas” são os mesmos que antes elogiavam as medidas econômicas de Caballo, ao mafioso Carlos Saul Menem e seu homem forte Don Yabrán.

Falando de mídia, é irresistível lembrar que as posições de Abravanel e Sirotsky são esperáveis. Mas, Saad pertence a qual etnia mesmo?! Ou então os “brimos” dos Jardins tem dúvida cruel, espelham-se em Maluf ou Herzl? A resultante processada que vai gerar mau cheiro do mesmo jeito. Enquanto as bombas estadounidenses-sionistas-chauvinistas destroem Beirute pela 2ª vez em menos de 20 anos, a mídia nacional aponta os dois lados de uma “invasão limpa”. Ao final dos noticiários, ao concluir a página de Mundo de algum jornal daqui, vemos uma cena de fundo. Nesta, Goebbels e Theodor Herzl sorriem abraçados, comemorando mais um massacre anti-semita.

enviar •
imprimir •






« voltar