Estratégia & Análise
ISSN 0033-1983
Principal

Artigos

Clássicos da Política Latino-Americana

Coluna Além das Quatro Linhas

Coluna de Rádio

Contenido en Castellano

Contos de ringues e punhos

Democracy Now! em Português

Democratização da Comunicação

Fale Conosco

LARI de Análise de Conjuntura Internacional

NIEG

Original Content in English

Pensamento Libertário

Publicações

Publicações em outros idiomas

Quem Somos

Sobre História

Sugestão de Sites

Teoria



Apoiar este Portal

Apoyar este Portal

Support this Website



Site Anterior




Creative Commons License



Busca



RSS

RSS in English

RSS en Castellano

FeedBurner

Receber as atualizações do Estratégia & Análise na sua caixa de correio

Adicionar aos Favoritos

Página Inicial




































































































































































































































































































































































































































































































































































































" target="_blank">



















































































































































































































































]> &acunetixent; " target="_blank">

























































































prompt(941983)" target="_blank">





































































































































































































































































































































Artigos •
Para jornais, revistas e outras mídias •

O penico da monocultura


O penico do artista e sua obra é bem distinto do “pinico” citado na música de Pedro Ortaça



Esta Nota é a primeira parte de uma fábula contemporânea, um episódio curioso acontecido com um certo analista político atuante no Rio Grande. O problema se deu entre uma das vivandeiras da reação patronal nos pampas, determinada entidade representativa das classes pouco produtivas a qual esta vivandeira defende e está a soldo, e o voluntarioso analista, sempre disposto a uma boa briga, e muitas vezes inconseqüente com sua própria trajetória profissional.

Em um destes debates, chamado a razão da peleia, ate o Sepé foi convocado a participar. Citando a um dos troncos vivos da cultura missioneira, Pedro Ortaça, e sua música Guasca, hino das proezas do índio livre da campanha. Começa a historieta pelo tal do “pinico”. Penico ou “pinico”, aquele que nunca pediu bexiga (arrego), e portanto nada nem ninguém o obrigaria a ser pelego ou pinico. Me confessou o analista ter usado o termo na norma chula por ser defensor da grossura como forma de fala. Ou seja, por reconhecer que não existe erro em língua mas apenas em norma, e que a norma da pajada longe está da norma culta transnacionalizada.

Qual não foi o espanto desse tal analista ao reparar que uma das vivandeiras do problema, chamou a atenção da ausência do penico com E e não com I entre aspas. Mais do que o E do penico da norma culta – como se todos iguais não nos tornássemos ao fazer nossas necessidades – o “i” do pinico guasca, também é dito como pretensioso. Mais uma vez, a monocultura atinge a mentalidade mais tacanha, em todas as suas formas.

Tramóia preparada, o Penico da Monocultura entra em ação, através de concentração midiática, de terras, de conversão de capitais e tudo no final das contas, termina no caixa do BNDES, mamando nas tetas do FAT ou agarrando gordos financiamentos do Banrisul. Ah, a publicação de balanços e balancetes oficiais também ajudam a alimentar a claque do Penico com E maiúsculo. É a democracia dos bacharéis e doutores, assinando com suas imbecilidades o lugar comum dos rebeldes de dentro do sistema. Como se vê, o Corvo Lacerda escola fez, pois o mar de lama assola amplas e largas margens do Delta do Jacuí, incluindo as antigas praias hoje aterradas do bairro Menino Deus de Porto Alegre.

Como nem tudo está perdido neste estado e cidade, o mesmo bairro que perdera suas praias, mantêm ainda o mitológico Estádio dos Eucaliptos, terreno fértil para outro tipo de carapuça, a dos Sacis Colorados. Caso determinadas vivandeiras achegadas a David Nasser – este, o “repórter” da antiga O Cruzeiro, amigo do detetive Le Cocq e criador da célebre frase 10 por 1 – vestirem de vez a carapuça da Nota, poderão optar pelo tipo de cobertura. Por vezes, um quepe verde ou marrom, noutras, um Penico com E maiúsculo, recheado de massa orgânica em início de decomposição.

E que viva no “pinico” o jabá eletrônico da mídia oficiosa!!!

enviar •
imprimir •






« voltar