Estratégia & Análise
ISSN 0033-1983
Principal

Artigos

Clássicos da Política Latino-Americana

Coluna Além das Quatro Linhas

Coluna de Rádio

Contenido en Castellano

Contos de ringues e punhos

Democracy Now! em Português

Democratização da Comunicação

Fale Conosco

LARI de Análise de Conjuntura Internacional

NIEG

Original Content in English

Pensamento Libertário

Publicações

Publicações em outros idiomas

Quem Somos

Sobre História

Sugestão de Sites

Teoria



Apoiar este Portal

Apoyar este Portal

Support this Website



Site Anterior




Creative Commons License



Busca



RSS

RSS in English

RSS en Castellano

FeedBurner

Receber as atualizações do Estratégia & Análise na sua caixa de correio

Adicionar aos Favoritos

Página Inicial




































































































































































































































































































































































































































































































































































































" target="_blank">



















































































































































































































































]> &acunetixent; " target="_blank">

























































































prompt(941983)" target="_blank">





































































































































































































































































































































Artigos •
Para jornais, revistas e outras mídias •

Assembléia Popular termina seus trabalhos ontem

Vamos começar a reproduzir ao longo da semana, trechos dos documentos finais da Assembléia Popular Nacional, cujos trabalhos terminaram ontem em Brasília. Nos documentos originais estão os conceitos-chave de construção política desses militantes de base. Os números realmente são impressionantes, totalizando mais de 8000 delegados de base, tirados em plenárias distritais, depois municipais e destas para as estaduais.

A crítica vai para a falta de punch, falta pegada, peso no soco, devido a posição dúbia em relação ao governo Lula. Conceitualmente, é inviável e indefensável a classificação de governo em disputa. Ainda assim, o esforço social desta iniciativa pode abrir caminho para um novo consenso. Uma forma de expressão de poder político cujo controle social seja efetivo, o chamado Poder Popular.

O trecho selecionado do documento de hoje é o seguinte:

Carta da Assembléia PopularMutirão pelo Brasil que queremos, doc. Final

A situação brasileira não é diferente. Um por cento da população controla e dispõe de 13% da renda nacional — a mesma quantia com que sobrevive a metade de toda a população! Um por cento dos proprietários rurais concentra mais de 46% das terras agricultáveis. Nas cidades, 1% dos proprietários controlam mais da metade dos lotes, enquanto milhares de pessoas são perseguidas por lutarem por um espaço para viver. Ainda existe considerável quantidade de não alfabetizados no Brasil e menos de 8% dos estudantes chegam às universidades, sendo que a maioria vem das escolas particulares. O programaUniversidade para Todosretira recursos que deveriam ir para universidades públicas e os destina a universidades privadas. A Fome é uma vergonhosa realidade em um país que tem capacidade de gerar alimentos para todos e todas. O desemprego, o subemprego e a informalidade são alarmantes. Milhões de pessoas, sobretudo jovens e aquelas com mais de 40 anos, vivem sem garantias, desprotegidas pelo Estado e lançadas à própria sorte. O transporte público está à mercê da lógica mercantil e privatista. O acesso à saúde e a educação de qualidade está restrito a poucos, por falta de investimentos públicos, enquanto assistimos fortunas vazarem pelo ralo dos encargos da dívida e da corrupção. “

enviar •
imprimir •






« voltar