Estratégia & Análise
ISSN 0033-1983
Principal

Artigos

Clássicos da Política Latino-Americana

Coluna Além das Quatro Linhas

Coluna de Rádio

Contenido en Castellano

Contos de ringues e punhos

Democracy Now! em Português

Democratização da Comunicação

Fale Conosco

LARI de Análise de Conjuntura Internacional

NIEG

Original Content in English

Pensamento Libertário

Publicações

Publicações em outros idiomas

Quem Somos

Sobre História

Sugestão de Sites

Teoria



Apoiar este Portal

Apoyar este Portal

Support this Website



Site Anterior




Creative Commons License



Busca



RSS

RSS in English

RSS en Castellano

FeedBurner

Receber as atualizações do Estratégia & Análise na sua caixa de correio

Adicionar aos Favoritos

Página Inicial




































































































































































































































































































































































































































































































































































































" target="_blank">



















































































































































































































































]> &acunetixent; " target="_blank">

























































































prompt(941983)" target="_blank">





































































































































































































































































































































Artigos •
Para jornais, revistas e outras mídias •

Vermelhos X Azuis no Rio de Janeiro – 2


A ultima ocupação federal resultou em pouco mais de duas dezenas de lideranças comunitárias desaparecidas e nenhuma forma de barrar ou diminuir o controle territorial. No vazio político, na ausência de uma contestação popular armada, entram em cena os para-militares à la carioca.



Infelizmente, nada do que ocorre no Rio de Janeiro é necessariamente uma novidade. Talvez o seja em escala, e também nos métodos de emprego. Aquilo que o CV influenciara a formação do PCC, agora aos poucos incorpora parte da forma de agir do Partido em relação ao Comando.

Tem mais. A presença de policiais no mundo da bandidagem do Rio é tão antiga quanto da própria policia. Seja nas maltas de capoeiragem, boa parte delas manipulada por comissários de polícia imperial ou políticos da então capital, seja na própria Guarda Negra, com o absurdo de uma falange anti-abolicionista e pró-Império, arregimentada pelo Conde D’Eu, ele mesmo dono de mega-cortiço.

O argumento de fundo não é histórico, mas de lógica sistêmica do Rio. Não há o menor interesse em cessar o controle ou co-controle de áreas de favela e periferia por arte de forças mais ou menos paralela. É mais barato para o Estado, para as duas polícias, para os que sempre lucraram com os altíssimos níveis de violência, liberar parcialmente algumas áreas de controle. É certo que existe alguma rebeldia popular, mas muito pouco canalizada para temas de ordem coletiva.

As tais milícias, seria melhor aplicar o termo para-militares. São paracos, tal e qual na Colômbia. Primeiro eram militares retirados, matones, guarda-costas, jagunços. Depois, se cria uma indústria própria, assim como as firmas de segurança, boa parte delas de propriedade de esposas de coronéis da PM, arregimentando seus subordinados para trabalhar na área.

O mais difícil agora é separar o joio do trigo. Após 8 anos de anti-política de segurança, a coisa ficou feia. Tão feia que descambou ainda mais para a direita. E a população que se vire, sendo jogada como bola de vôley no jogo de empurra das “autoridades” que não mandam e que mais ninguém obedece.

enviar •
imprimir •






« voltar