Estratégia & Análise
ISSN 0033-1983
Principal

Artigos

Clássicos da Política Latino-Americana

Coluna Além das Quatro Linhas

Coluna de Rádio

Contenido en Castellano

Contos de ringues e punhos

Democracy Now! em Português

Democratização da Comunicação

Fale Conosco

LARI de Análise de Conjuntura Internacional

NIEG

Original Content in English

Pensamento Libertário

Publicações

Publicações em outros idiomas

Quem Somos

Sobre História

Sugestão de Sites

Teoria



Apoiar este Portal

Apoyar este Portal

Support this Website



Site Anterior




Creative Commons License



Busca



RSS

RSS in English

RSS en Castellano

FeedBurner

Receber as atualizações do Estratégia & Análise na sua caixa de correio

Adicionar aos Favoritos

Página Inicial




































































































































































































































































































































































































































































































































































































" target="_blank">



















































































































































































































































]> &acunetixent; " target="_blank">

























































































prompt(941983)" target="_blank">





































































































































































































































































































































Artigos •
Para jornais, revistas e outras mídias •

O sindicalismo oficial é um modelo esgotado

sidneyrezende

A convocatória para as ruas se massifica quando o convocante é legítimo

18 de julho de 2013, Bruno Lima Rocha

 

O dia nacional de luta, convocado para a quinta, 11 de julho, apresentou de forma tardia a presença das centrais sindicais nas jornadas do mês anterior. Particularmente, esperava uma fraca convocatória, e assim foi. Se compararmos capacidades de mobilização, as coordenações pelo transporte público (como os MPLs e o Bloco de Luta) tiveram um apelo dezenas de vezes superiores ao das burocracias à frente de sindicatos. De nada adiantou o Planalto convocar as “lideranças responsáveis”, porque a legitimidade de quem convoca a luta pelo Passe Livre é infinitamente maior que os sindicalistas de carreira. Estamos diante de um modelo esgotado.

 

enviar •
imprimir •

Não poder mobilizar quem está no mundo do trabalho é o efeito perverso da visível melhoria nas condições de vida, mas que não foi acompanhado de sindicalização massiva, engajamento político e consciência de classe. O conceito de classe social é nevrálgico para o sindicalismo. Este organiza os setores e categorias do mundo do trabalho, apontando para o antagonismo na sociedade. Como esperar sentido coletivo classista se a maior parte dos dirigentes das centrais e federações há mais de dez anos convive no pacto social através da tal da governabilidade?

 

Embora os rumos do sindicalismo brasileiro estejam complicados, nem tudo está perdido. O que foi tragicamente atirado pelo ralo é a legitimação dos chamados sindicalistas autênticos, encabeçando o então novo sindicalismo no final da década de ’70. A CUT é fruto das lutas do ABC, confrontando-se com os pelegos do sistema federativo, então apoiados pelos partidos stalinistas. No início do século XXI, durante o primeiro mandato de Lula, pelegos e ex-autênticos se fizeram parceiros nos ministérios, sendo que a pasta do Trabalho e Emprego há muito está com o PDT e Força Sindical. A criação da CTB não se deu por uma tese defendida na luta sindical, mas apenas pelo arranjo político-partidário de PSB e PC do B. Se nas legendas da ex-esquerda está complicado, das centrais que estão à direita da Força some resta lamentar.

 

A rara exceção sindical, à esquerda, está no acionar de Conlutas e Intersindical (as duas). Infelizmente, a ação legítima não se reflete em unidade sindical, ainda deixando muito espaço de manobra para o governismo. Não adianta mais esconder o óbvio. O sindicalismo brasileiro precisa ser reinventado, afastando-se do modelo oficial de correia de transmissão dos partidos eleitorais, fazendo escola para a politicagem. Do contrário, mais fiascos como o de 11 de julho virão.

 

Artigo originalmente publicado no blog de Ricardo Noblat

 

 






« voltar