Estratégia & Análise
ISSN 0033-1983
Principal

Artigos

Clássicos da Política Latino-Americana

Coluna Além das Quatro Linhas

Coluna de Rádio

Contenido en Castellano

Contos de ringues e punhos

Democracy Now! em Português

Democratização da Comunicação

Fale Conosco

LARI de Análise de Conjuntura Internacional

NIEG

Original Content in English

Pensamento Libertário

Publicações

Publicações em outros idiomas

Quem Somos

Sobre História

Sugestão de Sites

Teoria



Apoiar este Portal

Apoyar este Portal

Support this Website



Site Anterior




Creative Commons License



Busca



RSS

RSS in English

RSS en Castellano

FeedBurner

Receber as atualizações do Estratégia & Análise na sua caixa de correio

Adicionar aos Favoritos

Página Inicial




































































































































































































































































































































































































































































































































































































" target="_blank">



















































































































































































































































]> &acunetixent; " target="_blank">

























































































prompt(941983)" target="_blank">





































































































































































































































































































































Artigos •
Para jornais, revistas e outras mídias •

A caricatura de Fidel


A eterna cegueira da mídia brasileira baila de cola atada com a mesmice de uma esquerda que chegou ao governo e não tinha projeto de poder algum. A caricatura de Fidel não pode atirar no poço do fim da história episódios como o da defesa de Playa Girón.



A renúncia de Fidel foi amplamente coberta pela mídia grandona. A atenção especial foi dada pelas revistas semanais. A Carta Capital pôs intelectuais de esquerda convencional a comentar a trajetória do mito em vida; Época gerou uma dúvida e Veja fez a canalhice de sempre. O que definitivamente não temos no Brasil é uma capacidade de crítica por esquerda.

Falar de Cuba e de Fidel Alejandro Castro Ruz é entrar em polêmicas. A paixão e a razão entram em conflito. Vejamos a coisa toda desde uma mirada conceitual. Cuba é uma ditadura, regime político fechado e com capacidade distributivista. A economia cubana é aberta aos capitais estrangeiros europeus e só não tem maior fluxo de investimentos em função do lobby gusano nos EUA. Para quem não se lembra, gusanos são os exilados em Miami, ex-colaboradores de Batista, dissidentes do regime castrista e atuam através de uma estrutura de milícias e economia própria.

Entre a vitória em 1º de janeiro de 1959 e a fusão total do PCC cubano, a sociedade ficou com seu rumo em aberto. No processo revolucionário, desde a constituição do MR 26 de julho, passando pelo ataque frustrado ao Quartel de Moncada, o exílio na Cidade do México, o desembarque do Granma, a ação das colunas na Sierra Maestra, a coordenação das sabotagens e levantes urbanos, o desembarque na Baía dos Porcos, a crise dos mísseis e o acordo com a URSS, muita água, mas muita mesmo, rolou debaixo da ponte da história caribeña e latino-americana.

Infelizmente o tema foi mal abordado pela mídia daqui e a tal da “esquerda” conseguiu debater a Fidel Castro com o vedetismo de sempre. Raul sempre foi a pior escolha, assim como a associação do regime de partido único com a igualdade sócio-econômica. Não há rectificación que alcance a mescla terrível de ortodoxia stalinista com capitalismo de mercado selvagem. Ah, me refiro às amizades de Raul com o comitê central do PC chinês, o maior partido confucionista do mundo. Este é um eixo de análise deixado de lado, só para varia.

Como quase sempre, fazemos o pior dos debates, partindo de caricaturas e preconceitos. Com tanta mediocridade conceitual é impossível debater qualquer coisa.

Esta Nota foi originalmente publicada para o portal de Claudemir Pereira

enviar •
imprimir •






« voltar