Estratégia & Análise
ISSN 0033-1983
Principal

Artigos

Clássicos da Política Latino-Americana

Coluna Além das Quatro Linhas

Coluna de Rádio

Contenido en Castellano

Contos de ringues e punhos

Democracy Now! em Português

Democratização da Comunicação

Fale Conosco

LARI de Análise de Conjuntura Internacional

NIEG

Original Content in English

Pensamento Libertário

Publicações

Publicações em outros idiomas

Quem Somos

Sobre História

Sugestão de Sites

Teoria



Apoiar este Portal

Apoyar este Portal

Support this Website



Site Anterior




Creative Commons License



Busca



RSS

RSS in English

RSS en Castellano

FeedBurner

Receber as atualizações do Estratégia & Análise na sua caixa de correio

Adicionar aos Favoritos

Página Inicial




































































































































































































































































































































































































































































































































































































" target="_blank">



















































































































































































































































]> &acunetixent; " target="_blank">

























































































prompt(941983)" target="_blank">





































































































































































































































































































































Artigos •
Para jornais, revistas e outras mídias •

O Brasil e o desenvolvimentismo capenga

brazilplanet

O país vem regulando os preços internos através de sua moeda forte e na aquisição sem precedente de bens de consumo importados. Embora satisfaça e melhore o nível de vida da população, endivida a massa assalariada e tira o foco no desenvolvimento científico brasileiro.

10 de janeiro de 2011, Bruno Lima Rocha

No último artigo do ano, dei início a uma análise transversal do momento econômico vivido pelo Brasil, desenvolvendo o argumento através das bases da economia política crítica. Seguindo no mesmo tema, antes de nada é preciso constatar. Não dá para negar que hoje vivemos bem se comparando dez anos atrás e também que a primeira década do século XXI foi muito melhor para os latino-americanos e os brasileiros do que a seqüência de duas décadas perdidas.

enviar •
imprimir •

A de ’80, teve como marca a crise da dívida acompanhada de estagflação galopante, chegando o Brasil à beira da hiperinflação. Naquele período construiu-se um consenso em torno do Estado Burocrático Autoritário, associando tudo o que era estatal a atraso e abismo cultural dos latino-americanos para com os países de capitalismo central. A conseqüência veio nos anos ’90, quando se dilapidam os patrimônios nacionais, liquidando tudo (ou quase tudo). Ainda assim nos mantivemos estagnados economicamente, embora já sem o fantasma inflacionário.

Não negar o óbvio está longe de implicar em adesão incondicional para a política econômica do governo e menos ainda em produzir discurso chapa branca e ufanista. Se na comparação com a história recente melhoramos, ainda estamos longe de termos uma estrutura produtiva a permitir vôos mais altos. Estamos séculos de ter um desenvolvimento regionalizado. Os níveis de investimento diretos ainda são baixos e o volume de impostos não corresponde à qualidade dos serviços prestados. Frear a sanha privatista foi importante, mas agora caberia um debate profundo a respeito do(s) modelo(s) de desenvolvimento e distribuição de renda no longo prazo.

Hoje o país vive o fruto da expansão do emprego direto (positiva), mas também do acesso ao crédito através da presença cada vez maior do sistema financeiro em nossas vidas cotidianas (duvidosa). O consumo suntuoso é incentivado por governo e mídia (a exemplo da cobertura das compras natalinas), pregando um keynesianismo capenga onde o mercado interno (antes patinho feio) é a galinha dos ovos de ouro. Dois problemas decorrem da expansão consumista desenfreada. O primeiro é o endividamento crescente dos brasileiros; já o segundo é a enxurrada de produtos importados, aumentando o abismo científico nacional.

Antes do flagelo da “fraude com nome de crise” promovida pela jogatina dos banqueiros, o Velho Continente era a utopia do capitalismo na Terra. Ainda cabe um longo caminho para vivermos em uma sociedade com nível de vida comparado com o europeu.

Este artigo foi originalmente publicado no blog do jornalista Ricardo Noblat






« voltar