Estratégia & Análise
ISSN 0033-1983
Principal

Artigos

Clássicos da Política Latino-Americana

Coluna Além das Quatro Linhas

Coluna de Rádio

Contenido en Castellano

Contos de ringues e punhos

Democracy Now! em Português

Democratização da Comunicação

Fale Conosco

LARI de Análise de Conjuntura Internacional

NIEG

Original Content in English

Pensamento Libertário

Publicações

Publicações em outros idiomas

Quem Somos

Sobre História

Sugestão de Sites

Teoria



Apoiar este Portal

Apoyar este Portal

Support this Website



Site Anterior




Creative Commons License



Busca



RSS

RSS in English

RSS en Castellano

FeedBurner

Receber as atualizações do Estratégia & Análise na sua caixa de correio

Adicionar aos Favoritos

Página Inicial




































































































































































































































































































































































































































































































































































































" target="_blank">



















































































































































































































































]> &acunetixent; " target="_blank">

























































































prompt(941983)" target="_blank">





































































































































































































































































































































Artigos •
Para jornais, revistas e outras mídias •

Recessão e altos salários


Do alto de sua elegância, Ellen Gracie, ministra gaúcha da Suprema Corte tupiniquim, assina o aumento, cravando a carneadeira no fígado das finanças do país.



Observemos estas manchetes abaixo:

- 3.000 salários acima do teto presidencial

- Conselho do MP eleva teto dos procuradores estaduais a R$ 24.500,00

- Congresso pode rever o reajuste salarial de 90,7%

- PIB cresce só 0,5% no último trimestre da economia

Dentro das regrinhas básicas do pensamento econômico que embasa ao neoinstitucionalismo neoliberal (neo-neo na gíria dos “entendidos”), a democracia é como a economia, um jogo de soma zero. Ou seja, é como o cobertor de pobre, tapam-se os pés e fica a cabeça de fora. Mesmo sendo este um conceito furado, tal e como a imensa maioria dos conceitos neo-neo, se os recursos são ilimitados, o apetite voraz da nobreza do Estado leva a escassez na ponta de baixo da tabela social.

Por mais que se queira remunerar de forma devida carreiras sensíveis do Estado brasileiro, a distância entre o salário mínimo proposto pelo Governo Meirelles, 2º mandato, e o auto-aumento dos nobres procuradores, parlamentares e magistrados é absurda. A nobreza se afasta da sociedade a quem ela deve regular, julgar, defender, representar ou atacar. O jogo corporativo é tão pesado que se altera a lógica, categorizando de “corporativo” aos trabalhadores organizados que exigem salário mínimo de R$420,00.

O efeito cascata iniciou dentro do Supremo Tribunal Federal (TSF), daí foi ao Conselho Nacional de Justiça, o Conselho Nacional do MP e daí não parou mais. Era visto que a farra chegaria ao Congresso, sempre o primeiro a dar exemplo de comportamento. Outra vez mais, a Suprema Corte menemista tupiniquim vai ao encontro da casa de Renan e Sarney.

Por onde anda nestas horas o procurador Luís Francisco e outros próceres da coisa pública?! Um choque entre seus trejeitos e a elegância absoluta da 1ª dama do judiciário seria muito interessante. Se não baixasse os supra-salários, ao menos renderia belos fatos jornalísticos.

enviar •
imprimir •






« voltar