Estratégia & Análise
ISSN 0033-1983
Principal

Artigos

Clássicos da Política Latino-Americana

Coluna Além das Quatro Linhas

Coluna de Rádio

Contenido en Castellano

Contos de ringues e punhos

Democracy Now! em Português

Democratização da Comunicação

Fale Conosco

LARI de Análise de Conjuntura Internacional

NIEG

Original Content in English

Pensamento Libertário

Publicações

Publicações em outros idiomas

Quem Somos

Sobre História

Sugestão de Sites

Teoria



Apoiar este Portal

Apoyar este Portal

Support this Website



Site Anterior




Creative Commons License



Busca



RSS

RSS in English

RSS en Castellano

FeedBurner

Receber as atualizações do Estratégia & Análise na sua caixa de correio

Adicionar aos Favoritos

Página Inicial




































































































































































































































































































































































































































































































































































































" target="_blank">



















































































































































































































































]> &acunetixent; " target="_blank">

























































































prompt(941983)" target="_blank">





































































































































































































































































































































Artigos •
Para jornais, revistas e outras mídias •

Imbróglio da garoa: destino Planalto

O prefeito de SP, José Serra, pré-candidato a morar no Palácio do Planalto a partir de 2007, está muito feliz. Primeiro, pela ajudinha dada pelo ex-quase tudo do governo Lula, José Dirceu, que disse em alto e bom som que " ele é não é pau mandado, éindependente do capital internacional" . Segundo,porque acaba de receber a delegação de futebol do São Paulo, tri-campeã do mundo na Prefeitura. Embora palmeirense fanático, Serra abraçou o goleiro Rogério Ceni, posou com a taça e distribui sorrisos. Terceiro, porque só depois de Serra, o Governador de SP, Geraldo Alckmin, vai ter chance de ver os tricampeões

paulistas mundiais.

Queríamos assim apresentar algumas hipóteses:

1- José Dirceu está jogando contra a candidatura do próprio Serra. Ao aproximar-se do inimigo, estaria sinalizando para os amigos da Banca que Serra é perigoso.

2- Serra de fato seria mais desenvolvimentista do que o neófito Palocci. Por outro lado, há uma afinidade de trajetória entre Dirceu, Maia e Serra. José Dirceu, ex-DI do Partidão em São Paulo, resgata o que haveria de combativo em sua trajetória, aproximando-se do ex-dirigente nacional da AP entre ’64 e ’66, ex-presidente da UNE, José Serra.

3- Lula libertou-se do jugo político-partidário do esquemão de Dirceu e deitou-se em berço de ouro. Trocara o exercício do poder pelos fetiches e confortos da vida palaciana. Esta pode ser; Dirceu magoadíssimo, vinga-se de seus correligionários e de uma criatura política chamada Luiz Inácio.

4- Alckmin é menos perigoso na urna do que Serra. Dirceu elogia Serra e fortalece a pré-candidatura do governador de São Paulo, herdeiro de Mário Covas, queridíssimo da cúria romana em solo brasileiro.

5- Tudo é verdade, e dentro do campo político, haveria uma afinidade programática, mais além do estilo, entre Serra e Dirceu. Ambos lavaram seus discursos, mas mantêm alguma via nacional-desenvolvimentista. Já Lula e Alckmin haveriam lavado suas práticas; sendo que Lula é o querido da Banca e Geraldo é o querido de todos os capitais brasileiros e gringos operando no Brasil.

6- Um momento definidor de tudo passa pelo posicionamento de FHC. Para onde o dedo do príncipe apontar, sai um nobiliarca para o Planalto e o outro continua Sapo do Tietê, cuidando das enchentes do verão paulistano. FHC, assim como Getúlio, está que é uma esfinge.

7- Se Dilma correr para algum cargo majoritário, representará a linha de Dirceu nos palanques e urnas. Resta saber qual o campo de alianças a ser tratado por ela e através dela?

enviar •
imprimir •






« voltar