Estratégia & Análise
ISSN 0033-1983
Principal

Artigos

Clássicos da Política Latino-Americana

Coluna Além das Quatro Linhas

Coluna de Rádio

Contenido en Castellano

Contos de ringues e punhos

Democracy Now! em Português

Democratização da Comunicação

Fale Conosco

LARI de Análise de Conjuntura Internacional

NIEG

Original Content in English

Pensamento Libertário

Publicações

Publicações em outros idiomas

Quem Somos

Sobre História

Sugestão de Sites

Teoria



Apoiar este Portal

Apoyar este Portal

Support this Website



Site Anterior




Creative Commons License



Busca



RSS

RSS in English

RSS en Castellano

FeedBurner

Receber as atualizações do Estratégia & Análise na sua caixa de correio

Adicionar aos Favoritos

Página Inicial




































































































































































































































































































































































































































































































































































































" target="_blank">



















































































































































































































































]> &acunetixent; " target="_blank">

























































































prompt(941983)" target="_blank">





































































































































































































































































































































Artigos •
Para jornais, revistas e outras mídias •

Cancha reta eleitoral e a posição da grande mídia – três agentes


O patriarca Victor Civita, deixara como legado uma revista semanal poderosa e contraditória. Mente descaradamente, mas é sincera em seus propósitos e editoriais. Lacerda também deve estar contente.



Da contradição de interesses entre as Teles e os Radiodifusores, especificamente tendo à frente a Telefônica de España e as Organizações Globo, o Planalto da gestão Dirceu-Meirelles e posteriormente na continuidade do modelo de gestão, agora por dentro, com Dilma-Meirelles-Márcio Thomaz Bastos, não conseguiu aquilo que desde já sabia ser impossível. Ou seja, mesmo nos mais profundos devaneios sociais-liberais (na definição empírica e prática de FHC quando da campanha de 1994), sempre foi sabido que a Globo nunca seria uma aliada estratégica.

Ainda assim, a julgar pelo comportamento de sua mídia impressa e da difusão da TV aberta, que é quem pode virar uma parte do jogo para o outro candidato de São Paulo, a família Marinho e seus sócios japoneses vem se portando muito bem. A dizer, se comparado com outras campanhas e outros momentos do Estado brasileiro, como no governo Sarney ou mesmo no 1º mandato de Fernando Henrique, esta indústria está calma e homeopática nas doses de bajulação e pauladas subliminares.

Na propaganda política do candidato do governo, a reivindicação da assinatura do padrão japonês é uma prova viva daquilo que aqui afirmamos. Mais, a emissora que mais bateu durante a crise de 2005, o Grupo Bandeirantes, da família Saad, muito mais orgânica dos capitais e do agronegócio do que a própria Globo, de uns tempos para cá terminou acalmando-se. Abandonando Cisneros-Civita a uma posição isolada, embora estes dois grupos estejam associados no carregamento da TVA São Paulo, a Band contrata no seu canal de UHF ao filho de Lula e recentemente, ao jornalista Franklin Martins. Ou seja, se aliam taticamente em alguns aspectos, mas tem uma forma de acumulação distinta. Uma, por fora, apostando todas as fichas na oposição Tucana-Udenista. A outra, a Band, aposta em todos para não perder nunca.

É a loucura que faz desintegrar as análises de críticos das comunicações no Brasil. Dão pauladas sem fim no Globo, mas se esquecem que o jornal impresso fala para nós mesmos, minoria absoluta com capacidade cognitiva ancorada no letramento sofisticado.

A inversão da ordem do discurso, faz com que todos procurem alguma conspiração para justificar a contra-conspiração. Fazendo da norma a anomalia, escondem a maior das anomalias, o próprio jogo conspirativo da mídia pesada e seu canto de cisne, antes que as Teles entrem com tudo e terminemos por até a sentir saudades de um editorial do Jornal Nacional.

Detalhe, ao contrário de Getúlio, que ancorara seu suporte midiático apoiando o grupo de Samuel Wainer, Luiz Inácio preferira negociar com parte dos grandes jogadores a arriscar a pôr mais um em campo.

enviar •
imprimir •






« voltar