Estratégia & Análise
ISSN 0033-1983
Principal

Artigos

Clássicos da Política Latino-Americana

Coluna Além das Quatro Linhas

Coluna de Rádio

Contenido en Castellano

Contos de ringues e punhos

Democracy Now! em Português

Democratização da Comunicação

Fale Conosco

LARI de Análise de Conjuntura Internacional

NIEG

Original Content in English

Pensamento Libertário

Publicações

Publicações em outros idiomas

Quem Somos

Sobre História

Sugestão de Sites

Teoria



Apoiar este Portal

Apoyar este Portal

Support this Website



Site Anterior




Creative Commons License



Busca



RSS

RSS in English

RSS en Castellano

FeedBurner

Receber as atualizações do Estratégia & Análise na sua caixa de correio

Adicionar aos Favoritos

Página Inicial




































































































































































































































































































































































































































































































































































































" target="_blank">



















































































































































































































































]> &acunetixent; " target="_blank">

























































































prompt(941983)" target="_blank">





































































































































































































































































































































Artigos •
Para jornais, revistas e outras mídias •

A luta do caju, do coco e da carnaúba


Quantos espinhos mais homens como este terão de enfrentar até poderem exercer sua própria vontade política?

Concluindo esta breve trilogia, positivamente nos chamam a atenção alguns aspectos.Um deles éa capacidade de organização dos prestadores de serviço como bugueiros, pessoal de apoio, organizadores de passeios, isto sem contar as firmas operadoras de turismo.

Mas o futuro não está no aeroporto, ao menos não para o modelo de desenvolvimento que apoiamos e defendemos. O futuro está no passado; em alguns aspectos deste ao menos. No cajú e no coco, já chegou o presente. Mais de duas dezenas de derivados para cada produto primário, incluindo aí fibras de tecidos, dentre outras. Pena é o volume da agro-indústria. É significativo, mas não avassalador como poderia ser.

Cajueiros, coqueiros e árvores de carnaúba abundam por todos lados. Fator positivo, que para os olhos desavisados, tendem a parecer terras semi-ocupadas. A produção primária e a agro-indústria terão de combater a especulação imobiliária. O mesmo vale para o meio ambiente, onde a especulação ataca sem dó nem piedade.

O problema é o volume de crédito e capacidade de comercialização. Embora conte comos serviços organizados e com setores não-concorrentes bem divididos, não há volume de crédito suficiente. Nunca há. Uma oportunidade seria a incorporação das ações majoritárias do Banco do Estado do Ceará (BEC)por seus funcionários. Aí sim haveria crédito, se e caso o BEC se torna-se de fato um banco popular, não mais um banco operando no mercado.Fica a torcida para que o BEC seja controlado por seus próprios trabalhadores.

Voltando ao crédito e micro-crédito,vale lembrarque este nunca chega ao ponto de concorrer com grandes conglomerados. Sabemos todos que o capital associado a máquinas político-partidárias é monopólico e avassalador. Os conglomerados de mídia cearenses que o digam.

Transformar estas atividades em cinturão verdeno entorno da capital é uma das saídas para a metropolização em andamento. Istoque pode vir a gerar umfreio para a ocupação de condomínios de forma acelerada.

Outra saída, por dentro do sistema e nas regras, são as compras de governo. Comprar ítens primários vinculados a associações de pequenos produtores, regionalizar parte dessas compras, aplicar produtos beneficiados na merenda escolar e com isso aumentar o poder de compra e consumo dos próprios pequenos e micro produtores e extrativistas. Diminuiria inclusive o poder das bolsas assistenciais, que embora importantes para a sobrevivência imediata, são moeda eleitoral escancarada e com livre circulação.

O fundo da questão é que mantendo a identidade, mantêm-se a memória. Associada a umaatividade econômica, dá noção de poder e barganha. Esta parte do passado outrora ganhou contornos de revolta e cangaço. A "nova ocupação" e a velha oligarquia querem outra forma de "desenvolvimento", onde a população tradicional entra como prestadora de serviço e complementariedade da indústria transnacional. Sejam estes produtos passeios, frutos ou gente.

A luta para aumentar a capacidade de exercer poder através dos frutos da terra será longa e árdua. A caminhada do caju, da lagosta, da carnaúba, do camarão, do coco e de todas as populações tradicionais é dura. Nada além daquilo que o povo daqui já faz há 500 anos.

enviar •
imprimir •






« voltar