Estratégia & Análise
ISSN 0033-1983
Principal

Artigos

Clássicos da Política Latino-Americana

Coluna Além das Quatro Linhas

Coluna de Rádio

Contenido en Castellano

Contos de ringues e punhos

Democracy Now! em Português

Democratização da Comunicação

Fale Conosco

LARI de Análise de Conjuntura Internacional

NIEG

Original Content in English

Pensamento Libertário

Publicações

Publicações em outros idiomas

Quem Somos

Sobre História

Sugestão de Sites

Teoria



Apoiar este Portal

Apoyar este Portal

Support this Website



Site Anterior




Creative Commons License



Busca



RSS

RSS in English

RSS en Castellano

FeedBurner

Receber as atualizações do Estratégia & Análise na sua caixa de correio

Adicionar aos Favoritos

Página Inicial




































































































































































































































































































































































































































































































































































































" target="_blank">



















































































































































































































































]> &acunetixent; " target="_blank">

























































































prompt(941983)" target="_blank">





































































































































































































































































































































Artigos •
Para jornais, revistas e outras mídias •

A batalha discursiva pelo Código Florestal

jufrase2.blogspot.com

A charge acima, originária de blog franciscano, retrata a dimensão de fundo da proposta do ex-guerrilheiro que se alia ao latifúndio; subordina-se o patrimônio natural e coletivo ao lucro privado de curtíssimo prazo.

28 de abril de 2011, da Vila Setembrina, Bruno Lima Rocha

O Brasil vive o tema do meio ambiente de forma caótica e contraditória. Por um lado temos, pela ótica do desenvolvimento sustentável, um dos mais avançados códigos ambientais do mundo. De outro, vive-se o resplendor do setor primário a ocupar enormes extensões de terras e voltando sua produção para os mercados externos. Esta tensão se reflete no seio do governo Dilma, divide as bases sociais organizadas no campo (a exemplo dos choques entre Contag e Via Campesina) e estoura num relatório pró-latifúndio assinado por um ex-guerrilheiro do Araguaia. Se há algum mérito na proposta do deputado federal Aldo Rebelo (PC do B/SP), visando à alteração do Código Florestal, este é o de escancarar posições dentro do governo e na luta pela legitimação social. Comecemos pela segunda.

enviar •
imprimir •

O modelo hegemônico (mas não majoritário) de produção primária enxerga-se como a agricultura de modo empresarial, operando com conceitos tão sofisticados como a tecnologia de solo utilizada pelos pouquíssimos fabricantes de fertilizantes operando no Brasil. Daí faz-se um óbvio e falso contraponto. O agronegócio, ou o agribusiness como tanto gosta os aderidos ao mono-cultivo, ocupa enormes extensões de terra voltada para a exportação, é denominado de “moderno”. Portanto, por esta construção discursiva, a forma de produção de base familiar voltada para o consumo direto da população do entorno é “arcaica”. Assim, o discurso torna superficial o debate de modus vivendi no campo, associando o latifúndio e os alimentos geneticamente modificados a um futuro imediato próspero e promissor. Já o lado oposto, segundo este mesmo ponto de vista, além de projetar assentamentos em forma de “favelas rurais”, alia-se aos chamados de “eco chatos” e não contribui para o “progresso” do país, criminalizando o “Brasil que produz”.

Já dentro do governo, cujo leque de alianças vai da direita agrária à agricultura familiar e camponesa, o projeto de Rebelo opera tal como canto de sereia, gerando tanto adesismos conservadores elogiando a postura “madura” de Aldo, assim como escancara a opção preferencial do Planalto pelo latifúndio e a agricultura de resultado na balança comercial. Entre clichês e chavões, a indústria da exportação de grãos e adjacências vai ganhando o debate societário, criando políticas de tipo fato consumado. Se o projeto de lei que altera o Código Florestal for aprovado, está aberta a porteira para o extermínio das leis de proteção, dando sinal verde rumo ao vale tudo empresarial no campo.

Este artigo foi originalmente publicado no blog do jornalista Ricardo Noblat






« voltar