Estratégia & Análise
ISSN 0033-1983
Principal

Artigos

Clássicos da Política Latino-Americana

Coluna Além das Quatro Linhas

Coluna de Rádio

Contenido en Castellano

Contos de ringues e punhos

Democracy Now! em Português

Democratização da Comunicação

Fale Conosco

LARI de Análise de Conjuntura Internacional

NIEG

Original Content in English

Pensamento Libertário

Publicações

Publicações em outros idiomas

Quem Somos

Sobre História

Sugestão de Sites

Teoria



Apoiar este Portal

Apoyar este Portal

Support this Website



Site Anterior




Creative Commons License



Busca



RSS

RSS in English

RSS en Castellano

FeedBurner

Receber as atualizações do Estratégia & Análise na sua caixa de correio

Adicionar aos Favoritos

Página Inicial




































































































































































































































































































































































































































































































































































































" target="_blank">



















































































































































































































































]> &acunetixent; " target="_blank">

























































































prompt(941983)" target="_blank">





































































































































































































































































































































Artigos •
Para jornais, revistas e outras mídias •

O padrão digital japonês e a escolha brasileira


O ministro dos oligopólios, também é amigo das operadoras de telefonia, e muito amigo dos seus amigos, como o empresário carioca Uajdi Moreira.



Por vezes, chega a ser chato, repetitivo, observar o noticiário e fazer análise de conjuntura tendo por premissa a interdependência das 3 esferas. Isto porque, com a ferramenta correta e apropriada, por inúmeras situações, o câmbio é de matizes, mas não de essência. Na disputa pelo padrão da TV digital brasileira, não deu outra.

Enquanto de um lado o BNDES acena para o financiamento da produção no Brasil de tecnologia importada, onde mais uma vez seremos reprodutores e geradores de tecnologia complementar; do outro lado da linha telefônica, o ministro da Rede Globo cai na arapuca por ele mesmo preparada. Novamente, o câncer aberto, não por Hélio Costa, mas pela ação rapinheira (com NH, lembram-se desta excrescência?) dos oligopólios das teles. Não exagero em nada, ao contrário, suavizo palavras para não parecer que estamos na Popular do Gigante da Beira-Rio. Leiam o Noblat de hoje e verão o fio da meada, cujo novelo, daria em vários carneiros.

Vejamos, se de um lado o BNDES acena para o óbvio, é sinal que financiamento da cadeia brasileira de semi-condutores sempre houve. O problema não é financiar, mas financiar a pesquisa de quem? Atendendo aos interesses de quem? Uma tecnologia gerada em consórcios público-acadêmicos, cujos pesquisadores de ponta, em que pese às contradições internas, fazem parte da Frente Brasileira pela Rádio e TV Digital Democráticas, torna-se um espinho nos mocassins italianos de quem os calça. E se de outro, a novela das Teles continua, levando gente séria a não saber o que é mais daninho (de novo com NH), se as operadoras de telefonia privada transnacional ou o oligopólio de comunicação ainda brasileiro. Nos resta saber, onde estão os interesses do povo brasileiro e quem os defende?

Na outra ponta da linha, a agência herdeira do Departamento de Controle de Telecomunicações, Dentel, hoje Anatel, continua usando e abusando de poder discricionário e ilegal. Assim, a ilegalidade do Estado atua como financiador dos oligopólios e das transnacionais, aplicando o rigor da lei em uma área cujo ministro é suspeito de seríssimas acusações. Entocados no alto dos morros, com estúdios semi-fechados, transmitindo sob o risco permanente da busca, roubo, apreensão dos equipamentos e processo e prisão ilegal dos ativistas, as rádios comunitárias confrontam-se com uma conjuntura que faz pensar no Serjão e no Mendonção como pessoas “tranqüilas” e pouco agressivas.

Na TV digital veremos o subproduto do desenvolvimento dependente, financiado com dinheiro público. O mesmo dinheiro, fruto do botim impositivo, sugado ora para a jogatina da dívida, noutras para refinanciar um modelo de negócios quebrado e sustentáculo da democracia procedimental e a cada dia menos confiável. A esperança está nas 15.000 emissoras de rádio-difusão comunitária, que mesmo com todas as contradições, fazem o único contraponto aceitável para uma sociedade como a nossa.

Me perdoem a indignação, amigos e respeitados leitores, mas sem este ingrediente ninguém vive nem analisa, só vegeta e repete e repete e repete, até chegar a crer que a mentira mil vezes repetida, torna-se meia verdade tolerável.

enviar •
imprimir •






« voltar