Estratégia & Análise
ISSN 0033-1983
Principal

Artigos

Clássicos da Política Latino-Americana

Coluna Além das Quatro Linhas

Coluna de Rádio

Contenido en Castellano

Contos de ringues e punhos

Democracy Now! em Português

Democratização da Comunicação

Fale Conosco

LARI de Análise de Conjuntura Internacional

NIEG

Original Content in English

Pensamento Libertário

Publicações

Publicações em outros idiomas

Quem Somos

Sobre História

Sugestão de Sites

Teoria



Apoiar este Portal

Apoyar este Portal

Support this Website



Site Anterior




Creative Commons License



Busca



RSS

RSS in English

RSS en Castellano

FeedBurner

Receber as atualizações do Estratégia & Análise na sua caixa de correio

Adicionar aos Favoritos

Página Inicial




































































































































































































































































































































































































































































































































































































" target="_blank">



















































































































































































































































]> &acunetixent; " target="_blank">

























































































prompt(941983)" target="_blank">





































































































































































































































































































































Artigos •
Para jornais, revistas e outras mídias •

A “democracia à moda colombiana”


Jorge Eliécer Gaitán, caudilho liberal que convocara as maiorias mais pobres de Colômbia e cuja conseqüência do debate anti-oligárquico foram os três tiros que o mataram em abril de 1948



Bruno Lima Rocha

4ª, 28 de maio de 2008; Vila Setembrina dos guascas abandonados; Continente dos traídos em Ponche Verde e Porongos; Liga Federal de los Gaúchos Libres de Guacurayí y Artigas

A morte de Manuel Marulanda Vélez (Pedro Antonio Marín), não é o fim da insurgência na Colômbia. O líder histórico das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) estava em armas desde a derrota do levante popular do Bogotazo, em 9 de abril de 1948. Neste dia o caudilho liberal Jorge Eliécer Gaitán, advogado, político e líder de uma “cruzada ética nacional”, foi assassinado. O apelo à violência política entre oligarcas deixou a certeza de que as regras de competição política são incapazes de incluir as maiorias empobrecidas.

O episódio desatou a violência social no campo colombiano, num período de conhecido bandoleirismo, cujo saldo foram 300.000 mortos entre 1948 e 1953. Marulanda nasce para a política nessa escola, sendo um mito fundador da rebelião dos pobres. Reforça esta idéia o fato de que todos os acordos entre guerrilhas e governo de turno, desde a campanha eleitoral de 1964, quando o padre dominicano Camilo Torres desiste do protesto pacífico, resultaram em massacre de militantes em plena “trégua democrática”. A experiência das FARC participando da União Patriótica (UP), partido legal que disputaria eleições gerais e legislativas foi terrível. Entre 1987 e 1992, 4.500 militantes foram assassinados, dentre eles, dois candidatos a presidente. O resultado foi o abandono da via eleitoral e o retorno permanente às armas.

Em contrapartida, vejo que a opção pela insurgência não justifica a lógica de funcionamento das FARC. Esta organização jamais poderia tolerar o refino de cocaína e a palma africana nos territórios que controla. Não há esforço de guerra que justifique o latifúndio e talvez este seja um dos motivos porque jamais seja reconhecida como força beligerante. Mas, reitero, o impasse democrático está além das guerrilhas.

Se a democracia formal não garante a participação política é porque na Colômbia é mais seguro ser guerrilheiro do que militante de base. Sem liberdade de reunião, opinião e manifestação, não há jogo democrático que resista.

Este artigo curto em novo formato (2000 caracteres com espaço) foi publicado originalmente no blog de Ricardo Noblat

enviar •
imprimir •






« voltar