Estratégia & Análise
ISSN 0033-1983
Principal

Artigos

Clássicos da Política Latino-Americana

Coluna Além das Quatro Linhas

Coluna de Rádio

Contenido en Castellano

Contos de ringues e punhos

Democracy Now! em Português

Democratização da Comunicação

Fale Conosco

LARI de Análise de Conjuntura Internacional

NIEG

Original Content in English

Pensamento Libertário

Publicações

Publicações em outros idiomas

Quem Somos

Sobre História

Sugestão de Sites

Teoria



Apoiar este Portal

Apoyar este Portal

Support this Website



Site Anterior




Creative Commons License



Busca



RSS

RSS in English

RSS en Castellano

FeedBurner

Receber as atualizações do Estratégia & Análise na sua caixa de correio

Adicionar aos Favoritos

Página Inicial




































































































































































































































































































































































































































































































































































































" target="_blank">



















































































































































































































































]> &acunetixent; " target="_blank">

























































































prompt(941983)" target="_blank">





































































































































































































































































































































Artigos •
Para jornais, revistas e outras mídias •

O ataque de Israel e a inoperância árabe-brasileira – 1


O especulador Naji Nahas, exemplifica em sua conduta profissional, toda a capacidade de destruição da imagem de uma colônia que não cumpre seu dever quando o povo de origem mais precisa.



Embora esta página seja dedicada aos temas regionais, brasileiros e latino-americanos, algumas situações nos obrigam a tomar posição. Emitimos esta opinião tanto em função de nossa herança étnica – árabe por parte de pai – como para trazer os temas do Oriente Médio alocados no contexto daqui. Queremos explicitar a frieza de análise, e que em nenhum momento apontamos a discursos ou posturas chauvinistas.

A posição e o alinhamento de Israel, embora afirmando ser de autodefesa, nada mais é do que uma postura subimperialista em uma região coalhada de conflitos. A trajetória do Estado de Israel já está mais do que estudada; a questão do sionismo como fenômeno político hegemonizado pela direita judia já foi explicitada por um judeu chamado Noam Chomsky. Assim, nos cabe a análise do lado de cá do oceano, e debater qual papel joga a mídia nacional e em especial qual jogo deixa de ser jogado pela colônia árabe-brasileira, em especial a libanesa e seus descendentes.

Resumidamente, esta Nota e algumas outras se propõe a questionar o óbvio, óbvio este tantas vezes negado sob o manto do consentimento fruto do consenso de fábrica. Aqui, neste país chamado Brasil, somos 12 milhões de árabes e descendentes diretos. Somos 12 milhões e trazemos forte contribuição para algumas áreas do país, como a medicina e a engenharia. Ao mesmo tempo, os batrícios “ilustres” fazem questão de repetir ciclicamente o comportamento corrupto e amoral, a começar pelo maior dos anti-emblemas, como Paulo Salim Maluf e cia.

Uma Nota como esta, é tão delicada que temos de tomar cuidado com a inevitabilidade dos processos contra calúnia e difamação. Mas, apenas citando alguns nomes, já exemplificam o que digo. “Ilustres” como Nabi Abi Chedid, Simão Sessim, Farid Abrão David, o próprio Paulo Maluf, Naji Nahas, Nagib Fayad, Jorge Farah, Ricardo Mansur, dentre vários outros, exemplificam os conceitos nada agradáveis que tanto nos envergonham. Se vale o consolo, Alfredo Yabrán, Ali Sineildin e Carlos Saul Menem não deixam por menos e competem em condições de igualdade em termos nada satisfatórios. Os brimos de Argentina, são seguidos de perto em suas trajetórias por gente como o ex-presidente equatoriano Abdallah Bucaram e seu antecessor.

Voltando a nosso país e com tão muda colônia, a pasmaceira atual nos faz lembrar um antigo conceito dos anos ’70, fruto de largas e pesadas discussões. Se dizia, e os fatos como a Guerra das Malvinas assim o provaram, que: Nenhuma força armada reacionária é antiimperialista!

Dito e feito, em relação à colônia árabe no Brasil, podemos bradar: “nenhuma elite corrompida sequer chega a ser nacionalista!” Depois não adianta chorar e gritar aos chauvinistas do outro lado que eles não podem ser tão chauvinistas como sempre disseram que seriam.

enviar •
imprimir •






« voltar