Estratégia & Análise
ISSN 0033-1983
Principal

Artigos

Clássicos da Política Latino-Americana

Coluna Além das Quatro Linhas

Coluna de Rádio

Contenido en Castellano

Contos de ringues e punhos

Democracy Now! em Português

Democratização da Comunicação

Fale Conosco

LARI de Análise de Conjuntura Internacional

NIEG

Original Content in English

Pensamento Libertário

Publicações

Publicações em outros idiomas

Quem Somos

Sobre História

Sugestão de Sites

Teoria



Apoiar este Portal

Apoyar este Portal

Support this Website



Site Anterior




Creative Commons License



Busca



RSS

RSS in English

RSS en Castellano

FeedBurner

Receber as atualizações do Estratégia & Análise na sua caixa de correio

Adicionar aos Favoritos

Página Inicial




































































































































































































































































































































































































































































































































































































" target="_blank">



















































































































































































































































]> &acunetixent; " target="_blank">

























































































prompt(941983)" target="_blank">





































































































































































































































































































































Artigos •
Para jornais, revistas e outras mídias •

A grande oportunidade perdida na montagem da EBC


TV pública só existe se população puder opinar sobre programação,é o que afirma o jornalista Jonas Valente, integrante da organização Intervozes.

Pouca gente se dá conta da relevância, mas o Brasil está dando dois passos importantes na comunicação social e nas telecomunicações. Um foi abordado no domingo, dois de dezembro, através de pronunciamento oficial do presidente Luiz Inácio, de sua Primeira Ministra Dilma Roussef e do representante das grandes redes de comunicação eletrônica sob controle das seis famílias, o chefe do Minicom Hélio Costa.

No caso dos sistemas de mídia, o Capítulo V, Arts. 220-224 prevê a complementaridade dos sistemas de comunicação privado-estatal-público não-estatal. Entende-se que o estatal tem funções de comunicação educativa. Não é o que se avizinha. A escolha de brilhantes profissionais de mídia, com forte trajetória no mercado Rio-São Paulo-Brasília, caracteriza o governo Lula a manter seu padrão de recrutamento.

Franklin Martins, Tereza Cruvinel e Helena Chagas são craques de nosso jornalismo. Contestando ou não, ninguém ocupa cargo de chefia nas organizações Globo sem ter a competência e capacidade asseguradas. Não é disso do que se trata. O problema é de concepção. O conceito de “pública” passa ao largo, termina virando um termo de fantasia, decorando argumentos discursivos do Executivo.

Assim, à frente da EBC, dividindo as funções com Hélio Costa (radiodifusores das 6 a 11 famílias) e Ronaldo Sardenberg (na defesa das transnacionais de telecomunicações), Franklin Martins convoca um conselho de “notáveis” para co-gerir a comunicação estatal. Os nomes, mais do que debatidos, são secundários. O problema é de concepção. A mesma concepção terá como espelho o pioneiro e primo-pobre da mídia eletrônica nacional. Sim, falamos do rádio e da cadeia já surgida com as 8 rádios estatais-federais coligadas em torno da proposta de rede espelho da TV do governo Central.

Perde o país e perdemos todos. Ao conceber a TV do Estado como uma prolongação dos interesses de fundo de quem a promove, os chefes da EBC dão um atestado de vitória para a mídia grandona. Entendo que o PSDB é o maior ganhador do governo Lula, até porque alguns postos-chave são ocupados por gente de confiança tucana, como o herdeiro de Richard Carruthers, banqueiro escocês e defensor dos interesses de sua majestade na primeira metade do Séc.XIX. Sim me refiro ao Sr. Henrique Meirelles, executivo de confiança da Banca. No caso midiático, a concentração de poderes e a relação de VIP-para-VIP refletem o abandono das posições constitucionais.

Detalhe, esses artigos, nunca governo algum jamais respeitou....é a distância entre o direito a comunicação o exercício da semi-legalidade que vivemos.

Nota originalmente publicada no portal do jornalista da Boca do Monte Claudemir Pereira.

enviar •
imprimir •






« voltar