Estratégia & Análise
ISSN 0033-1983
Principal

Artigos

Clássicos da Política Latino-Americana

Coluna Além das Quatro Linhas

Coluna de Rádio

Contenido en Castellano

Contos de ringues e punhos

Democracy Now! em Português

Democratização da Comunicação

Fale Conosco

LARI de Análise de Conjuntura Internacional

NIEG

Original Content in English

Pensamento Libertário

Publicações

Publicações em outros idiomas

Quem Somos

Sobre História

Sugestão de Sites

Teoria



Apoiar este Portal

Apoyar este Portal

Support this Website



Site Anterior




Creative Commons License



Busca



RSS

RSS in English

RSS en Castellano

FeedBurner

Receber as atualizações do Estratégia & Análise na sua caixa de correio

Adicionar aos Favoritos

Página Inicial












































Coluna Além das Quatro Linhas •


Luiz Zveiter - a vaidade que mela o campeonato

G1.com

No Brasileirão de 2005, Luiz Zveiter anulou 11 jogos apitados por Edilson Pereira de Carvalho. O então presidente do STJD alegou que os jogos estavam contaminados. Essa decisão polêmica deu o título ao Corinthians.

Porque o homem do STJD fez o que fez? Para entrar ao vivo na Globo, a corporação que controla, juntamente com a Nike e Ricardo Teixeira, ao bem simbólico mais popular do país?! Será que pela vaidade de uma entrevista o homem decide com uma canetada melar ao campeonato de futebol mais disputado do mundo?

enviar •
imprimir •

Outra pergunta para as grandesemissoras. Porque ninguém apura nada? Para meter a mão é simples, basta ir a fundo, tomando depoimento inclusive do atual presidente da Câmara, o governista Aldo Rebelo. Afinal, porque seu livro sobra a multinacional patrocinadora da seleção está confiscado?

Quem paga o pato é o juiz comprável Edílson Pereira de Carvalho, pagando patos e micos na mídia eletrônica. O mutreteiro Nagib Fayad ficou mudo ou é mais conveniente que ele não fale nada? Se montaram acampamento na frente do apartamento de Roberto Jefferson, porque não fazem o mesmo com o Gibão?

Certamente não seria tão agradável. O homem do cheque em branco e sentimentos primitivos oferecera champagne para as equipes de reportagem. Gibão, se oferecer algo, não vai passar de esfiha dormida ou quibe passado de velho.






« voltar