Estratégia & Análise
ISSN 0033-1983
Principal

Artigos

Clássicos da Política Latino-Americana

Coluna Além das Quatro Linhas

Coluna de Rádio

Contenido en Castellano

Contos de ringues e punhos

Democracy Now! em Português

Democratização da Comunicação

Fale Conosco

LARI de Análise de Conjuntura Internacional

NIEG

Original Content in English

Pensamento Libertário

Publicações

Publicações em outros idiomas

Quem Somos

Sobre História

Sugestão de Sites

Teoria



Apoiar este Portal

Apoyar este Portal

Support this Website



Site Anterior




Creative Commons License



Busca



RSS

RSS in English

RSS en Castellano

FeedBurner

Receber as atualizações do Estratégia & Análise na sua caixa de correio

Adicionar aos Favoritos

Página Inicial












































Coluna Além das Quatro Linhas •


Deu Odone no Gre-Nal de domingo último


Este fazendeiro tem como seu grande capital político a canalização de uma paixão clubística. Semelhante a Eurico Miranda e Arnaldo Faria de Sá, que destino lhe resta a não ser a demagogia futeboleira

A final do gauchão representou não apenas a volta do Gre-Nal encerrando uma temporada local, mas também uma bela simulação de choque de classes em pleno futebol. Na verdade, entrechoque. Algumas perguntas têm de ser feitas, e de fundo, não na superfície.

enviar •
imprimir •

Não basta uma parte do Rio Grande gritar fora Paulo Odone e voltar em Zacchia nas urnas de outubro. Na letra fria das trajetórias, pouco ou nada há de diferença entre eles. No Rio Grande do Sul terminamos comemorando ao lado de políticos da dupla Gre-Nal, assim como um pouco mais ao sul, em terras porteñas, se grita e comemora junto de Macri do Boca Juniors; assim como Perón era hincha Racing de Avellaneda e outras manobras mais.

Esse mecanismo nefasto de entreverar a política com o futebol é tão pavoroso como a presença de radialistas, jornalistas e demais profissionais da mídia, a cargo e associados dos grandes grupos econômicos, e com presença marcada no teclado do TRE.

O esquema de campanha vai associado de muitos consulados de Grêmio e Inter; onde os próprios correligionários muitas vezes são os representantes, quando não já vereadores. No lastro do futebol se afirmam identidades e daí para o estelionato destas para as urnas é um pulo. Olhando com lupas, nem a várzea escapa, especialmente em campanhas municipais.

Enquanto Odone comemora a sua vitória antecipada em outubro com o título gaúcho, sua gestão na prefeitura de Porto Alegre não pôde ou não quis tombar a cancha do histórico Força e Luz, clube que está prestes a perder todo o seu patrimônio.






« voltar