Estratégia & Análise
ISSN 0033-1983
Principal

Artigos

Clássicos da Política Latino-Americana

Coluna Além das Quatro Linhas

Coluna de Rádio

Contenido en Castellano

Contos de ringues e punhos

Democracy Now! em Português

Democratização da Comunicação

Fale Conosco

LARI de Análise de Conjuntura Internacional

NIEG

Original Content in English

Pensamento Libertário

Publicações

Publicações em outros idiomas

Quem Somos

Sobre História

Sugestão de Sites

Teoria



Apoiar este Portal

Apoyar este Portal

Support this Website



Site Anterior




Creative Commons License



Busca



RSS

RSS in English

RSS en Castellano

FeedBurner

Receber as atualizações do Estratégia & Análise na sua caixa de correio

Adicionar aos Favoritos

Página Inicial












































Coluna Além das Quatro Linhas •


Ronaldinho, “Flamengo é Flamengo”, não é mesmo?

noticias.bol.com.br

Boate "agradece" a contratação de Ronaldinho pelo Atlético...

12 de junho, Anderson Santos (editor), Dijair Brilhantes & Bruno Lima Rocha

O Campeonato Brasileiro começou no último dia 19 de maio. Ainda de forma lenta, pouco competitiva, esperando os clubes definirem suas vidas na Libertadores e na Copa do Brasil e a famosa janela abrir. Alguns times foram desfalcados devido às convocações de jogadores importantes para as seleções, mas por pouco tempo, já que se abriu uma folga de uma semana e meia no calendário. Assim, o Brasileirão disputa em atratividade com rodadas e agendas em paralelo.

Nem Santos X Corinthians pela Libertadores ou Palmeiras X Grêmio na Copa do Brasil, o assunto mais falado das últimas semanas foi o fim do tumultuado casamento entre Ronaldinho Gaúcho e Flamengo. Denúncias de ambas as partes, mostra de vídeo de meses e acusação sobre o Palmeiras ter feito algo que o Flamengo fez no ano passado com Kleber. No fim, sobrou o Atlético-MG para ficar com o agora R49, que estreou no sábado.

enviar •
imprimir •

No dia 08 de janeiro de 2011, após longa e interminável novela-leilão, publicada aqui e em todos os sites, blogs e cadernos esportivos mundo a fora, o duas vezes melhor do mundo, Ronaldinho, dispensou contratos “certos” com o Palmeiras de Felipão e com o Grêmio de sua formação e selou a união com o rubro-negro carioca.

União esta que foi apresentada ao vivo, diante de mais de 20 mil apaixonados torcedores flamenguistas, com direito a apresentação da bateria da Estação Primeira de Mangueira, escola de samba campeoníssima do carnaval carioca. O Rio de Janeiro estava em polvorosa, um craque eleito duas vezes o melhor do mundo vinha para vestir a camisa 10 que já fora de Zico. Um casamento perfeito estava ocorrendo.

Um conto de fadas?

A relação entre Ronaldinho Gaúcho e o Flamengo nunca chegou a ser um conto de fadas, nem mesmo quando o rubro-negro ganhou o Campeonato Carioca de 2011, com gol do R10 na final. Sempre se cobrava o brilhantismo que um dia foi visto por todos com a bola aos pés do gaúcho. Alguns acreditavam que o brilho do futebol do ex-melhor do mundo voltaria aos poucos, afinal ele precisava de um tempo até conseguir readaptar-se ao futebol brasileiro, após uma década na Europa.

A torcida aguentou muito até os primeiros sete meses, quando o time não perdia, mas tampouco ganhava muitas partidas, ficando no meio da briga nos torneios mais importantes, como a eliminação para a “Carroça desembestada” do Ceará na Copa do Brasil.

Os dias foram passando, algumas derrotas do Flamengo começaram a conturbar o ambiente na Gávea, o desempenho de Ronaldinho não era bom. Logo surgiram os “boatos”, alguns dos quais acabaram se confirmando. R10 estaria frequentando a badalada noite carioca. Alguns torcedores criaram o "Disque-Dentuço", uma forma de vigiar o jogador. Ronaldo Assis Moreira, malandro experimentado, encontrou a solução. Não para seu futebol – perdido entre as madrugadas – mas para seu prazer a todo custo. Organizou festas de arromba (parodiando a Jovem Guarda) em sua mansão, localizada em condomínio de luxo. Na porta, revista de câmaras e celulares; lá dentro, nem Deus sabe o que acontecia de verdade. Já dentro de campo...

Salários atrasados

Já em meio a 2011, o Flamengo teve sérias dificuldades de cumprir com o pagamento de salário do R10. A diretoria rubro-negra culpava a empresa investidora Traffic (de J Hawilla), por não cumprir sua parte no contrato. A dívida estaria em torno de 4,5 milhões de reais, que o Flamengo acabou quitando meses depois. O contrato com a empresa foi rompido e o clube teria de arcar com todo o salário a partir de então.

O problema é que a fonte secou no Ninho do Urubu. Esperando um fenômeno semelhante ao de Ronaldo no Corinthians, o Flamengo não teve muito retorno de publicidade com R10. O seu staff pessoal parecia não se esforçar tanto quanto o fez o Fenômeno. Para se ter uma ideia, o jogador chegou a ser o único a não usar uma camisa especial de uma empresa de pilhas num jogo, o que causou sério desconforto para o pessoal do marketing.

Veio 2012, o clube carioca continuou em meio a muitas confusões apesar de ter garantido a classificação para a fase preliminar da Libertadores. A paciência do experiente Vanderlei Luxemburgo havia acabado. Assim, tornaram-se públicas as desavenças entre ele e o (ex) craque do grupo.

Nas vésperas da estréia na pré-Libertadores, surgiram boatos da demissão de Luxemburgo, que teria exigido uma punição mais séria ao jogador por ter passado uma noite com uma mulher num hotel em Londrina, onde o time realizava sua pré-temporada. Mesmo com a classificação para o torneio sul-americano, com a melhor atuação de R10 com a camisa do Flamengo, o técnico acabou sendo demitido dias depois.

Na coletiva de imprensa, a presidenta do Flamengo Patrícia Amorim - dublê de vereadora peemedebista e cartola, assim como uns e outros daqui da Província do Eucalipto - disse que a mudança era necessária, pois a diretoria não estava mais conseguindo contornar as constantes crises do clube. Ronaldinho parecia ter ganhado força dentro do clube (é o fator Eros operando no vestiário!).

Contratado pelo Grêmio, casualmente time onde o R10 surgiu e abandonou por duas vezes, Luxemburgo não quis entrar em detalhes da sua briga com Ronaldinho, apenas disse que um dia todos saberão a verdade.

O divórcio litigioso

O que todos previam acabou se confirmando. O fim do casamento entre Ronaldinho Gaúcho e Flamengo. Após muita confusão nas últimas semanas, quando seu irmão e empresário Roberto Assis chegou a ir a uma loja do clube e “pegar” produtos e camisas do Flamengo sem querer pagar, alegando que não pagavam seu irmão, R10 foi à justiça pedir o rompimento do contrato com o Flamengo.

O jogador conseguiu a liberação no Tribunal Regional do Trabalho através da advogada Gislaine Nunes, especialista no assunto. R10 cobra uma dívida de R$ 40 milhões, entre salários e direitos de imagem. O Flamengo diz que “só” deve R$ 4,5 milhões. Para um clube que já deve um montante quase equivalente a uma parte de seu patrimônio físico, “quarentinha de milhão” não é nada certo...

No meio da confusão, sobrou até para o Palmeiras, que foi acusado de “aliciar” Ronaldinho ainda em contrato com o Flamengo, e que foi notificado de uma possível ação na justiça de mais de R$ 300 milhões. Curioso, já que no ano passado, o mesmo Flamengo aliciou de forma escancarada o atacante Kleber, prometendo um salário bem melhor ao “Gladiador”, que “teve” uma série de lesões para não jogar a sétima partida do Brasileiro, o que inviabilizaria uma possível mudança de casa. Ou seja, aprende “porcada”, já não basta ter levado dois bailes do Fluminense (Thiago Neves e Martinuccio), agora até do Flamengo? Viu, depois os palestrinos reclamavam do Belluzzo, que como cartola é um grande economista!

No fim das contas, R10 surgiu no Galo e treinou antes mesmo de assinar o contrato, sob os olhos de Alexandre Kalil, que parece gostar de tentar recuperar jogadores no Atlético-MG, já que acabara de contratar o atacante Jô mesmo após problemas de indisciplina no Internacional. Fora outros jogadores caros que já passaram por lá e não deram qualquer resultado, como Petkovic e Diego Souza.

Kalil parece ter a obsessão de afundar o clube das massas da Gerais, pagando muito para quem joga pouco e aumentando o folclore em torno do time onde jogara o esquadrão de ’80, com João Leite, Luizinho, Toninho Cerezo, Éder e sua majestade o Rei Reinaldo - ai Galo, quem te viu e quem te vê...

Uma pesquisa feita por um programa da líder do oligopólio midiático apontou que as vinte torcidas da primeira divisão não queriam vê-lo com a camisa do seu clube. O Palmeiras foi o de resultado mais parelho (51% X 49%) por conta do histórico de Felipão com o jogador.
Quem comemorou mesmo a chegada ao clube de Minas foi uma boate de Belo Horizonte, que até fez uma propaganda agradecendo o Atlético por garantir maior movimento na noite da capital mineira...

A entrevista

Como quase tudo que se refere à mídia neste país, o agora R49 resolveu falar com exclusividade ao programa semanal Fantástico, da Rede Globo. Com um tom ameno, Ronaldinho disse não ter tido problemas de relacionamento no Flamengo, nunca ter chegado sem condições de treinar, conforme alegou a diretoria, e não ter tido problemas com nenhum treinador durante sua carreira, muito menos com Luxemburgo e Joel Santana – cada vez mais triste por ter assumido essa bomba. O jogador alega que o motivo de sua saída é exclusivamente o não recebimento de salário.

Flamengo vitima?

Que o histórico de Ronaldinho Gaúcho mostra que ele não é o inocente que aparenta ser nas entrevistas nós sabemos. Afinal, o R10 saiu de quase todos os clubes de forma conturbada. Mesmo no Barcelona, bastou uma temporada ruim para ele sair do clube. O que se falava na Catalunha era que todos sabiam que ele ia para a noite espanhola, mas enquanto desce resultados em campo não havia problemas. Bastou não dar...

Entretanto, o Flamengo vir a público bancar uma de inocente já é demais! O atleta não cumprir com suas obrigações profissionais, não inocenta o clube de não cumprir com sua parte do contrato. É direito do jogador, enquanto trabalhador, receber o que foi acordado em contrato, e sim, cobrar atitudes profissionais do seu profissional. O clube se isentou de punir o atleta e deu no que deu.

Divulgar um vídeo da concentração em Londrina, onde Ronaldinho supostamente estaria no quarto com uma mulher, é achar que a torcida rubro-negra é burra. Afinal, ninguém da diretoria quis tratar do assunto quatro meses atrás e, além disso, optou por punir o técnico que exigiu a punição ao atleta. E, sabemos como é a tradição recente do rubro-negro da Gávea.

E as declarações do novo gerente de futebol Zinho, que foi companheiro de Ronaldinho no início da carreira do jogador no Grêmio, dizendo que ele chegou sem condições de treinar devido as noitadas, com direito à bronca “pública”?!

Agora o Flamengo expõe isso tudo, dizendo que vai entrar na Justiça contra o jogador, mas em nada adianta reclamar agora de uma possível falta de profissionalismo do jogador. Um casamento que começou conturbado não poderia terminar bem.

Ronaldinho cumpre a sina de sua frase inicial: “Flamengo é Flamengo”, clube onde, como diria Vampeta, “eles fingem que pagam e eu finjo que jogo”. Pena que Patrícia Amorim e cia. estejam conseguindo afundar ainda mais um clube já recheado de problemas.






« voltar