Estratégia & Análise
ISSN 0033-1983
Principal

Artigos

Clássicos da Política Latino-Americana

Coluna Além das Quatro Linhas

Coluna de Rádio

Contenido en Castellano

Contos de ringues e punhos

Democracy Now! em Português

Democratização da Comunicação

Fale Conosco

LARI de Análise de Conjuntura Internacional

NIEG

Original Content in English

Pensamento Libertário

Publicações

Publicações em outros idiomas

Quem Somos

Sobre História

Sugestão de Sites

Teoria



Apoiar este Portal

Apoyar este Portal

Support this Website



Site Anterior




Creative Commons License



Busca



RSS

RSS in English

RSS en Castellano

FeedBurner

Receber as atualizações do Estratégia & Análise na sua caixa de correio

Adicionar aos Favoritos

Página Inicial












































Coluna Além das Quatro Linhas •


Futebol e Política 1

Esta nota inaugura uma longa série com o mesmo título e tema. O alvo são os cartolas e a manipulação simbólica do futebol. Por "amor", dirigentes "amadores" "ajudam" suas instituições de coração. Analisemos o mecanismo.

enviar •
imprimir •

Acaba de dar na Rede Pampa (Rádio, Jornal e TV), reprodutora da Record aqui no Rio Grande. O presidente do Grêmio, Paulo Odone, vereador pelo PPS-RS, tomou uma decisão. Assim que o tricolor gaúcho subir para a 1a. divisão, ele se afasta do Grêmio e começa a trabalhar sua candidatura a deputado.

Odone é presidente do diretório metropolitano do PPS gaúcho, grupo oriundo do racha de Brito e Cia. e sua peleia contra o MDB de Simon e Padilha. Paulo Odone fez dobradinha, eleito vereador, garantiu o prefeito e o cargo na Câmara de Porto Alegre. Na sequência, através de eleição indireta, retomou a presidência do Grêmio em 2o. turno.

É impressionante como esta mesma história se repete em todos os clubes, com maior ou menor intensidade. Hoje com o Odone inicia uma pequena série de mais do mesmo de sempre. Odone ama o Grêmio, e o Grêmio o ama. Faz tudo de coração como dirigente "amador". Em troca, pede uma pequena retribuição voluntária, na forma de votos. E isto já faz mais de 20 anos. Ele como tantos outros.

E ageral do Grêmio, não se manifesta? A conhecida massa da alma castelhana poderia vir a formar um contra-ponto na instituição. Basta politizar-se um pouco mais. Na dúvida, olhem um pouco mais ao sul e vejam o exemplo de Maradona.






« voltar