Estratégia & Análise
ISSN 0033-1983
Principal

Artigos

Clássicos da Política Latino-Americana

Coluna Além das Quatro Linhas

Coluna de Rádio

Contenido en Castellano

Contos de ringues e punhos

Democracy Now! em Português

Democratização da Comunicação

Fale Conosco

LARI de Análise de Conjuntura Internacional

NIEG

Original Content in English

Pensamento Libertário

Publicações

Publicações em outros idiomas

Quem Somos

Sobre História

Sugestão de Sites

Teoria



Apoiar este Portal

Apoyar este Portal

Support this Website



Site Anterior




Creative Commons License



Busca



RSS

RSS in English

RSS en Castellano

FeedBurner

Receber as atualizações do Estratégia & Análise na sua caixa de correio

Adicionar aos Favoritos

Página Inicial




































































































































































































































































































































































































































































































































































































" target="_blank">



















































































































































































































































]> &acunetixent; " target="_blank">

























































































prompt(941983)" target="_blank">





































































































































































































































































































































Artigos •
Para jornais, revistas e outras mídias •

O caso Mônica na encruzilhada do ofício


Mônica Veloso, jornalista de formação com breve passagem pelos holofotes de celebridade. Não foi a primeira e pelo visto, tampouco será a última.



É tema recorrente na profissão de jornalista o debate a respeito do protagonismo do fato. Ou seja, quem deve aparecer mais, o repórter ou a notícia? Em termos contemporâneos, a discussão se dá entre a história e o narrador. Particularmente, considero absurdo o fato de que os narradores sejam mais relevantes do que o enredo. E, mais absurdo ainda, que a cultura da modéstia e semi-anonimato seja substituída pelo mito do luxo e das celebridades.

No entramado do mundo e submundo de Brasília, desde o governo Collor que duas ou três novas gerações de profissionais de comunicação pululam entre os corredores, palácios, gabinetes e ministérios. Mônica Veloso, segundo os que a conheceram, é apenas mais uma bela mulher, que circulou entre gente com parcelas do poder político do Brasil. E, de quebra, outra linda leitora de tele-prompter, apresentando o Bom Dia DF quando ainda era estagiária da UniCeub.

Ao que parece, esta mãe de dois filhos que arrebatou as emoções do equilibrista político Renan Calheiros, era freqüentadora de altas rodas. No quesito privacidade, ao brasileiro médio pouco importa quem dormiu com quem, e isto é positivo. Mas, o fetiche da autoridade pelas profissionais de mídia não é de hoje. Parte desse culto é de responsabilidade direta dos capitães da indústria, seja na Província de São Pedro, em São Sebastião do Rio de Janeiro, na São Paulo do Planalto de Piratininga, nas Alterosas Belorizontinas, no famigerado Planalto Central, assim como país afora e Brasil adentro.

Jornalismo de autor, ou gringamente denominado new journalism , é diferente de jornalismo de celebridade. Para os de pouca memória, o fetiche começara já nos galanteios e no futuro matrimônio da jovem repórter e fotógrafa Jacqueline Bouvier com o então senador J.F. Kennedy. Hoje, o padrão estético impera no critério de seleção. Na proporção inversa, a mídia se funde e a investigação e ousadia dão lugar a um comportamento clean.

Na atual conjuntura, Mônica Veloso é apenas mais um exemplo, mau e belo exemplo de intromissão da vida privada nos negócios pouco republicanos que comem R$ 40 bilhões do orçamento do governo da nação ano a ano.

Nota originalmente publicada no portal de Claudemir Pereira

enviar •
imprimir •






« voltar