Estratégia & Análise
ISSN 0033-1983
Principal

Artigos

Clássicos da Política Latino-Americana

Coluna Além das Quatro Linhas

Coluna de Rádio

Contenido en Castellano

Contos de ringues e punhos

Democracy Now! em Português

Democratização da Comunicação

Fale Conosco

LARI de Análise de Conjuntura Internacional

NIEG

Original Content in English

Pensamento Libertário

Publicações

Publicações em outros idiomas

Quem Somos

Sobre História

Sugestão de Sites

Teoria



Apoiar este Portal

Apoyar este Portal

Support this Website



Site Anterior




Creative Commons License



Busca



RSS

RSS in English

RSS en Castellano

FeedBurner

Receber as atualizações do Estratégia & Análise na sua caixa de correio

Adicionar aos Favoritos

Página Inicial




































































































































































































































































































































































































































































































































































































" target="_blank">



















































































































































































































































]> &acunetixent; " target="_blank">

























































































prompt(941983)" target="_blank">





































































































































































































































































































































Artigos •
Para jornais, revistas e outras mídias •

Os Brics e o novo eixo de expansão capitalista


Mais importante do que disputar espaço decisório dentro do Fundo Monetário Internacional (FMI) é compor outro organismo multilateral de modo a fortalecer a posição dos emergentes à frente do G-20.

23 de julho de 2014, Bruno Lima Rocha

A 6ª Reunião de Cúpula dos líderes do bloco de países formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul (Brics) apontou para uma realização e duas certezas.

enviar •
imprimir •

O fato concreto é da ordem da redistribuição geográfica do capitalismo mundial. Fundar os pilares de um Novo Banco de Desenvolvimento e um Fundo de Contingência é um importante passo para sobrepor a moribunda ordem nascida em Bretton Woods.

Mais importante do que disputar espaço decisório dentro do Fundo Monetário Internacional (FMI) é compor outro organismo multilateral de modo a fortalecer a posição dos emergentes à frente do G-20. Especificamente, a instituição financeira pode fortalecer a posição brasileira para consolidar tanto o MERCOSUL como, no médio prazo, a Unasul.

Infelizmente, esta visão não é compartida pelo conjunto das elites políticas nacionais e nem sequer dos sócios-clientes do Estado brasileiro, como as maiores empreiteiras ou o agronegócio. Se fosse, esta realização - a de criar um Banco de fomento não subordinado a superpotência e nem a União Européia (leia-se, Alemanha e seus satélites) - seria consensual aqui.

Eis a primeira certeza. A de que os países médios necessitam criar mecanismos próprios, porque o desenvolvimento através da integração absoluta ao capitalismo transnacional é simplesmente inviável.

Quando os latino-americanos viviam sob tal consenso, nossas sociedades quase se desintegraram. O subcontinente ultrapassou os 50% de atividade informal, com o desmonte do setor público e os pilares do amparo social (que já eram fracos) dissolvidos. Para evitar o retorno a esta catástrofe societária, é positivo o fato do país líder da América Latina ser membro dos Brics.

A segunda certeza é inversa. Assim como os vencedores da Guerra Fria não ofereceram nada mais do que integração subordinada, os perdedores (Rússia e China) tampouco têm sociedades dignas de exemplo.

Não há relativismo que possa tolerar a ausência de liberdade política ou a total violação dos direitos fundamentais. A Índia, apesar de ser a maior democracia formal do mundo, é uma arcaica sociedade de castas. Portanto, o eixo dos Brics forma, no máximo, uma alternativa econômica e não a recriação de possibilidades políticas transformadoras.

A nova geografia do capitalismo mundial é o fruto indesejado da globalização vitoriosa. Passa pela incorporação de quase 1 bilhão de novos consumidores e o uso abusivo de mão de obra intensiva. Por tabela, possibilita outro ordenamento do eixo de expansão capitalista.

Artigo originalmente publicado no blog do Ricardo Noblat.






« voltar