Estratégia & Análise
ISSN 0033-1983
Principal

Artigos

Clássicos da Política Latino-Americana

Coluna Além das Quatro Linhas

Coluna de Rádio

Contenido en Castellano

Contos de ringues e punhos

Democracy Now! em Português

Democratização da Comunicação

Fale Conosco

LARI de Análise de Conjuntura Internacional

NIEG

Original Content in English

Pensamento Libertário

Publicações

Publicações em outros idiomas

Quem Somos

Sobre História

Sugestão de Sites

Teoria



Apoiar este Portal

Apoyar este Portal

Support this Website



Site Anterior




Creative Commons License



Busca



RSS

RSS in English

RSS en Castellano

FeedBurner

Receber as atualizações do Estratégia & Análise na sua caixa de correio

Adicionar aos Favoritos

Página Inicial




































































































































































































































































































































































































































































































































































































" target="_blank">



















































































































































































































































]> &acunetixent; " target="_blank">

























































































prompt(941983)" target="_blank">





































































































































































































































































































































Artigos •
Para jornais, revistas e outras mídias •

A respeito da “democracia” colombiana


A Colômbia democrática é tão complexa como o realismo fantástico de García Márquez. A insanidade, o latifúndio, a monocultura e a violência desenfreada tornam desnecessária uma ditadura formal, bastando o regime de força real.



No caso da Colômbia, seu crônico conflito interno colombiano é real contra senso entre oligarquia, imperialismo, monocultura e democracia de direitos. Naquele país, há mais de quarenta anos é mais seguro ser guerrilheiro do que militante de base. Portanto, o direito de oposição e reunião, tão contestado na Venezuela, na Colômbia inexiste. As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC, fundada em 1964), tem suas raízes na derrota militar após o acúmulo político do caudilho Jorge Eliécer Gaitán. Favorito para as eleições de 1949, o ex-ministro da Educação foi assassinado em 1948. Deu-se o estopim de uma guerra política que ganhou sentido social. Os camponeses organizados a partir de ligas de autodefesa conformam uma organização permanente, as FARC. O bandoleirismo social dos anos ’50 passou a condição de guerrilha após o cerco de Marquetalia e hoje é quase uma guerra regular de infantaria ligeira.

A outra força beligerante, o Exército de Libertação Nacional – União Camilista (ELN-UC, 1964), teve parte de suas origens na campanha política pacífica promovida pelo padre Jorge Camilo Torres Restrepo. Ao criar a Frente Unida Popular, tentou romper o pacto Liberal-Conservador conhecido como “Pacto Nacional”. Convocou a abstenção eleitoral e foi acusado de subversão. Em 1965, já marcado para morrer, uniu-se a um pequeno grupo armado cujos fundadores haviam treinado em Cuba e caiu no primeiro combate. A partir deste fato político, o ELN ganhou projeção e se inserta em zonas camponesas, estando ativo até hoje.

Todos os intentos de anistia e participação na vida democrática colombiana levaram a infindáveis massacres. Nos períodos de trégua e legalidade, foram assassinados mais militantes da União Patriótica (UP, fundada em 1985), braço político das FARC, do que guerrilheiros em combate. Outra organização político-militar, esta muito ativa nos anos ’70 e ’80, chamada M-19, se legalizou em 1989 e foi disputar eleições presidenciais. Resultado, logo em 1990, viu seu candidato à presidência, Carlos Pizarro León Gomez assassinado. Hoje é uma força política insignificante no panorama do país.

A estabilidade política e normalidade democrática simplesmente não existem na Colômbia. Uma parte enorme das economias do país deriva do narcotráfico e isso atinge a quase todas as forças políticas, legais e ilegais. Os pistoleiros dos anos ’60, defensores de latifundiários e caciques dos gamonales (base política), se organizaram em bandas de mercenários irregulares. A junção destas bandas resultou nas Autodefensas Unidas de Colômbia, mega-cartel de paramilitares (paracos), intrinsecamente ligados ao narcotráfico e ao plantio de palma africana.

O advogado Álvaro Uribe Vélez é um expoente conservador, correndo por fora e fazendo política à la Fujimori. É um típico exemplo da vigência democrática na Colômbia de Salvatore Mancuso, Diego Fernando Murillo (Don Berna), Vicente Castaño, Julián Montañez, dentre outros “heróis”.

enviar •
imprimir •






« voltar