Estratégia & Análise
ISSN 0033-1983
Principal

Artigos

Clássicos da Política Latino-Americana

Coluna Além das Quatro Linhas

Coluna de Rádio

Contenido en Castellano

Contos de ringues e punhos

Democracy Now! em Português

Democratização da Comunicação

Fale Conosco

LARI de Análise de Conjuntura Internacional

NIEG

Original Content in English

Pensamento Libertário

Publicações

Publicações em outros idiomas

Quem Somos

Sobre História

Sugestão de Sites

Teoria



Apoiar este Portal

Apoyar este Portal

Support this Website



Site Anterior




Creative Commons License



Busca



RSS

RSS in English

RSS en Castellano

FeedBurner

Receber as atualizações do Estratégia & Análise na sua caixa de correio

Adicionar aos Favoritos

Página Inicial




































































































































































































































































































































































































































































































































































































" target="_blank">



















































































































































































































































]> &acunetixent; " target="_blank">

























































































prompt(941983)" target="_blank">





































































































































































































































































































































Artigos •
Para jornais, revistas e outras mídias •

A bancada “evangélica” e o pensamento reacionário

Istoé

O Estado é laico, mas a força da adoração ao bezerro de ouro, associada com o louvor a uma síntese entre prosperidade e carga preconceituosa, consegue elevar seu poder político a cada legislatura.

28 de março de 2013, Bruno Lima Rocha

 

Já era o momento de ver um ato público no auditório da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), Centro do Rio. Marco Feliciano (PSC-SP) vem operando como epicentro da opinião pública brasileira, mobilizando justificadas preocupações. No período da Abertura, o local era palco das lutas por redemocratização e também, pela equivocada bandeira da Anistia Ampla, Geral e Irrestrita para torturadores e criminosos de lesa humanidade. Agora, em 2013, grupos de minoria ativa, intelectuais e artistas novamente se reúnem para tentar barrar o avanço do pensamento autoritário, galvanizado no presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal. O paradoxo é o seguinte. Caso as massas sejam convocadas, a parte ativa vai empurrar para a direita.

enviar •
imprimir •

Se o político e pregador paulista carrega em seu discurso a marca do grotesco, este perfil não é exclusivo. O conjunto de tele-evangelistas a pregar diariamente, há mais de trinta anos, princípios de doutrina vinculados à Teologia da Prosperidade, de fato vem acumulando poder e força social. Hoje, este setor é representativo, batendo quase trinta pontos de porcentagem eleitoral com o chamado “voto evangélico”. Tal clivagem se baseia em formulações obscuras, trazendo interpretações bíblicas ao pé da letra, reforçando os aspectos do pensamento conservador das classes baixas. Para o consumo suntuoso, é o melhor dos mundos. Para transformar a sociedade, estamos em maus lençóis.

 

Em vários momentos da história, a classe trabalhadora melhorou sua condição de vida arrancando conquistas e direitos. Hoje, o ministro da Pesca e bispo licenciado da Igreja Universal, Marcelo Crivella (PRB-RJ) agradece a um ex-líder sindical (Lula) e uma ex-guerrilheira (Dilma), pela ampliação do crédito e do poder de compra do salário. Sua alegação chega a ser simplória. Com mais dinheiro em circulação, maior é o número e volume do dízimo pago pelos fieis. Se isso não é crise de paradigma, é o que?

 

A ironia é irresistível. Nelson Rodrigues brigava contra o setor religioso mais à esquerda, a quem chamava de “padre de passeata”. O que diria o escritor a respeito de políticos como Feliciano e Crivella, ambos na base volátil de um governo cujo passado e trajetória política se forja na ação de pastorais sociais?! Certamente, nosso maior dramaturgo “era feliz e não sabia”. É preferível um pregador de batina dando sermão tentando alterar as relações sociais; a um dublê de pastor, apresentador e político reforçando o preconceito e o pensamento reacionário.

 

Obs: Peço desculpas por aplicar o termo evangélico ao me referir à bancada neopentecostal. Trata-se de uma exigência jornalística, considerando o problema de espaço e atenção do leitor. Neopentecostal é o conceito correto, mas evangélico é o eufemismo empregado para os pregadores da Teologia da Prosperidade, diversificados em suas distintas seitas arrecadadoras, embora politicamente aliados.  






« voltar