Estratégia & Análise
ISSN 0033-1983
Principal

Artigos

Clássicos da Política Latino-Americana

Coluna Além das Quatro Linhas

Coluna de Rádio

Contenido en Castellano

Contos de ringues e punhos

Democracy Now! em Português

Democratização da Comunicação

Fale Conosco

LARI de Análise de Conjuntura Internacional

NIEG

Original Content in English

Pensamento Libertário

Publicações

Publicações em outros idiomas

Quem Somos

Sobre História

Sugestão de Sites

Teoria



Apoiar este Portal

Apoyar este Portal

Support this Website



Site Anterior




Creative Commons License



Busca



RSS

RSS in English

RSS en Castellano

FeedBurner

Receber as atualizações do Estratégia & Análise na sua caixa de correio

Adicionar aos Favoritos

Página Inicial




































































































































































































































































































































































































































































































































































































" target="_blank">



















































































































































































































































]> &acunetixent; " target="_blank">

























































































prompt(941983)" target="_blank">





































































































































































































































































































































Artigos •
Para jornais, revistas e outras mídias •

Transnacionais e governos: relações perigosas

Isto É

As relações denunciadas em seguidas matérias da revista Isto É materializam os conceitos narrados no presente artigo.

20 de agosto de 2013, Bruno Lima Rocha

 

O caso da suposta prática de cartel em licitações no Metrô e Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), envolvendo transnacionais de reconhecida expertise na área de engenharia complexa e os governos tucanos do estado de São Paulo, se comprovado, vem a materializar conceitos que venho empregando há mais de uma década. São três e obedecem a uma ordem lógica.

enviar •
imprimir •

O primeiro aborda as relações institucionais do grande agente econômico (de capital brasileiro ou transnacional) como uma visão de empreendimento. A economia política de linha crítica acerta ao afirmar que as relações são assimétricas, tal como o acesso e o usufruto aos recursos coletivos organizados pelo poder de Estado. Desta maneira, a garantia dos negócios com o ente governamental pode ser no formato de um “bismarckismo tropical”, como é o modelo do governo atual, ou alimentando cadeias transnacionais, como fora o período áureo das privatizações no Brasil. 

 

O segundo conceito entende que as relações assimétricas – desiguais – tendem a uma fusão entre elite dirigente – como o secretariado de um governo estadual – e classe dominante. Quando as empresas em ação são transnacionais, não se trata de uma oligarquia local - como é a representação da FIESP ou da CNA – mas sim de uma alta gerência operando em escala mundial. O Brasil, ou São Paulo especificamente, seria – se o cartel for comprovado – mais um entre vários teatros de operações. As narrativas abordando o acionar corporativo já narraram diversas situações semelhantes. Livros como Confissões de um assassino econômico, de John Perkins (Cultrix, 2005) e filmes como O Informante (The Informant!, de Steven Soderbergh, EUA/2009) expõem estas relações de forma  muito didática.  

 

O terceiro conceito observa o mimetismo das elites transitórias, no caso brasileiro, ex-opositores da ditadura ou intelectuais arrependidos de ideias à esquerda. Não se trata apenas de política de portas giratórias, onde os operadores ocupam postos no governo, na mídia, universidades e empresas, mas algo mais profundo. Ocorre uma simbiose entre o modo de vida (life style para os estadunidenses) e as vias para obtenção de recursos. Por dentro ou por fora, com ou sem rubrica, corruptor e corrompido se juntam em momentos descontraídos, aumentando laços informais e identidades comuns. 

 

Analisado o modelo, cabe rever o formato da crítica. Urge aumentar a organização social, para a maioria não ser eterna refém das perigosas relações entre transnacionais e governos de turno.

 

Artigo originalmente publicado no blog do jornalista Ricardo Noblat






« voltar