Estratégia & Análise
ISSN 0033-1983
Principal

Artigos

Clássicos da Política Latino-Americana

Coluna Além das Quatro Linhas

Coluna de Rádio

Contenido en Castellano

Contos de ringues e punhos

Democracy Now! em Português

Democratização da Comunicação

Fale Conosco

LARI de Análise de Conjuntura Internacional

NIEG

Original Content in English

Pensamento Libertário

Publicações

Publicações em outros idiomas

Quem Somos

Sobre História

Sugestão de Sites

Teoria



Apoiar este Portal

Apoyar este Portal

Support this Website



Site Anterior




Creative Commons License



Busca



RSS

RSS in English

RSS en Castellano

FeedBurner

Receber as atualizações do Estratégia & Análise na sua caixa de correio

Adicionar aos Favoritos

Página Inicial




































































































































































































































































































































































































































































































































































































" target="_blank">



















































































































































































































































]> &acunetixent; " target="_blank">

























































































prompt(941983)" target="_blank">





































































































































































































































































































































Artigos •
Para jornais, revistas e outras mídias •

Paradoxos bovinos da economia e da política


Segundo os ilibados senadores, as vacas são as responsáveis pelos trocos de cheques em casas particulares e outras peculiaridades



O ano de 2005 expôs ao país uma nova forma de desvio e lavagem de dinheiro. O duto por onde navega o dinheiro público, então apelidado de Valerioduto, dava selo de entrada dos recursos por meio de dois bancos estaduais. Na crise do Senado, Roriz e Renan inovam. Geram valor agregado na compra e venda de bois, bezerros e vacas.

Enquanto o gado reprodutor é superfaturado o Dieese aponta outra barbaridade do país tropical. No Brasil, a lei – ora a lei – é o precedente e não a realidade. Da publicação da Carta Magna de 1988 às sociedades reais, o trecho é enorme. Vejamos os números e comparemos o paradoxo.

Segundo o apurado na Agência Estado:

“Com base no maior valor apurado para a cesta, de R$ 193,90, em Porto Alegre, e levando em consideração o preceito constitucional que estabelece que o salário mínimo seja o suficiente para garantir as despesas familiares com alimentação, moradia, saúde, transportes, educação, vestuário, higiene, lazer e previdência, o Dieese calculou que o mínimo deveria ser 4,28 vezes maior que o piso vigente, de R$ 380,00. Em maio, o menor salário deveria ter sido de R$ 1.620,64, ou 4,26 vezes o valor vigente.”

Assim, como é possível equacionar o problema da reforma política como uma forma de fidelização partidária e aproximação entre eleitores e eleitos? Se o salário nominal é de R$ 380,00 e o preceito aponta ao índice do Dieese, o que resta para o eleitor? Renan apóia ao governo do ex-metalúrgico, e de escora do Planalto passa a ser visto como peso morto. Ao seu lado, manobrando entre corredores, Geddel, Roriz, Sarney e cia. navegam nos bastidores do Congresso.

É impossível saber o tamanho do estrago, não da combalida imagem do Congresso, mas sim da auto-estima e capacidade de luta coletiva a partir da constatação da diferença entre o salário real e o preceito constitucional. E, se me permitem os economistas neoliberais, expliquem como é possível que em um estado como o Rio Grande do Sul, onde 30% do PIB gaúcho cravado no setor primário, a cesta básica seja a mais cara? Será a ancoragem do padrão-dólar para os produtos de agro-exportação?

Entre as vacas de Roriz e a soja do latifúndio, ambas as opções estão erradas.

enviar •
imprimir •






« voltar